Desembargadora do TJ-RJ acusa Marielle de parceria com o Comando Vermelho

Segundo a desembargadora, ela teria sido executada por ter descumprido compromissos com o CV.
16/03/2018 22h24 - Atualizado em 17/03/2018 14h12
Foto: Reprodução

A desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Marília Castro Neves, que é ex-procuradora do Estado e que entrou no TJ pelo quinto constitucional, em postagem no Facebook , acusou a ex-vereadora do PSOL, Marielle Franco de ter pertencido ao Comando Vermelho. Marielle foi assassinada na quarta-feira (14).

Segundo a desembargadora, ela teria sido executada por ter descumprido compromissos com o CV. “Qualquer outra coisa diversa é mimimi da esquerda tentando agregar valor a um cadáver tão comum quanto qualquer outro”, escreveu.

Depois da repercussão negativa da postagem, Marília fechou o conteúdo do seu perfil, mas não a tempo de sua manifestação ser copiada.

Veja o post:


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso