22/06/2015 16h08 - Actualizado 22/06/2015 16h08

PL puede acreditar a falta de los padres que están en reuniones en las escuelas

O projeto é de autoria da pastora Luciana e foi apresentado na manhã de hoje (22) na CMM.
foto: Tiago Correa (CMM)
foto: Tiago Correa (CMM)

Garantir o abono de falta ao trabalho de pais e responsáveis por alunos, para participação de reuniões oficializadas no calendário escolar, é o que foi proposto pela vereadora Pastora Luciana (PÁGINAS), en la mañana del lunes (22), el Municipio de Manaus (CMM).

Pastora Luciana destacou em discurso no plenário da Casa, que, com o PL, ficarão amparados para todos os fins e efeitos, as faltas ao trabalho de pais e responsáveis legais por crianças e adolescentes matriculados nas escolas de educação infantil e ensino fundamental da rede pública e privada do município de Manaus e nos dias de reuniões escolares cronogramadas em calendário.

“Sabemos das dificuldades que os pais ou responsáveis têm para se ausentarem do trabalho para acompanhar de mais perto a vida escolar de seus filhos ou tutelados e da incompreensão da maioria dos empregadores na sua liberação para esse tipo de evento. De esa forma, a presente propositura ampara os pais a participar das reuniões e sempre que possível estar presente na instituição é uma das condições necessárias para o bom andamento da atividade escolar e da aprendizagem dos alunos. Desta maneira os pais ou responsáveis legais também criarão vínculo com o educador e perceberão que este também é um ser humano e que precisa da colaboração da família para que o seu trabalho tenha resultados positivos”, justificou a parlamentar.

A vereadora também enfatizou que o projeto encontra amparo e inspiração na Constituição Federal, artículo 205, que dispõe ser a educação direito de todos e dever do Estado e da família, devendo ser promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

A parlamentar finalizou dizendo que tudo está respaldado também, na Lei Orgânica do município de Manaus, que diz no seu artigo 346 inciso V que o “incentivo á participação da comunidade no processo educacional, através de mecanismos como reuniões de pais e mestres e faculdade de uso do espaço escolar pela comunidade jurisdicionada, inclusive na aprovação do regimento interno e do currículo escolar”.

“Tanto as instituições privadas como as públicas precisam dos pais ou responsáveis presentes na vida dos educandos, acompanhando sua vida escolar, o rendimento, as orientações passadas pelo conjunto da escola, por último, estabelecendo uma parceria. É fundamental, portanto que se estabeleça essa parceria sócio-afetiva-cultural, integrando os pais e os educadores na perspectiva de melhorar a atuação da escola e a vida escolar do aluno”, finalizou a vereadora.

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505