Brasil está fora de acordo que derruba preços de produtos de tecnologia

21/07/2015 11h31 - Actualizado 21/07/2015 11h31
foto: reproducción

O Brasil não está envolvido no acordo comercial que pode eliminar tarifas de importação de mais de 200 produtos do mercado de tecnologia, videogames e semicondutores. O pacto deve ser assinado até o final desta semana por 80 países na primeira grande negociação de tarifas na Organização Mundial do Comércio, a OMC, en 18 años.

Isso porque o Brasil negou os termos do Tratado Internacional de Tecnologia da Informação durante o processo de constituição do projeto de isenção de tarifas. Segundo o presidente da Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), Humberto Barbato, o país nunca almejou ingressar nesse acordo já que isso prejudicaria a indústria nacional frente aos baixos custos dos produtos chineses.

Nunca quisemos participar do tratado. Se isso acontecesse, praticamente não teríamos mais indústria eletroeletrônica no país”, dice, tentando explicar que o cenário de preços baixos na China, alto custo de produção no Brasil e o câmbio valorizado é amedrontador para a economia nacional.

Já Estados Unidos, China, Coréia do Sul e União Europeia, representando 97% do comércio mundial de tecnologia, aderiram ao acordo, que é discutido há anos entre as principais potências econômicas do mundo. A comercialização dos produtos englobados no tratado movimentam cerca de US$4 trilhões por ano, e o novo acordo têm potencial para reduzir preços em até US$1 trilhão do montante geral.

fuente: mirada digital


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505