Cirandas y bailes internacionales agitar Domingo 59 Festival de Folclore

As apresentações começam às 20h.
18/07/2015 08h13 - Actualizado 18/07/2015 08h13
foto: revelación

A Amazônia tem sido um dos principais temas do 59º Festival Folclórico do Amazonas. Prova disso serão as apresentações das cirandas e danças internacionais deste domingo, 19, una 20h partir das, los Pueblos Amazónicos del Centro Cultural (CCPA), sul. As apresentações fazem parte da categoria Prata, coordenada pela Fundação Municipal de Cultura Turismo e Eventos (Manauscult). O festival é realizado pela Prefeitura de Manaus em parceria o Governo do Estado, a través del Departamento de Cultura (SEGUNDO), que coordenou a categoria Ouro, na primeira fase do evento.

A “Ciranda Princesinha da Vila” abre a terceira noite de apresentações da categoria Prata, a las 20h, com a “Lenda das Icamiabas”, que vai contar a expedição de Francisco Orellana em “Inhamundá”. O enredo terá destaque na luta das Icamiabas com os homens. Además, no cordão de brincantes, a ciranda inovará com índias europeias.

En seguida, a las 20:45, a dança internacional será representada pelo “Grupo Amazonense Arte Livre”. De esta vez, o grupo fará uma adaptação dos filmes “Êxodo: Deuses e Reis” e “Os dez mandamentos”, além da Bíblia Sagrada e de novelas. Toda a apresentação será em forma de espetáculo, com teatro cênico, danças africanas, egípcias e árabes. A apresentação do grupo será até às 21h25.

A noite continua com a ciranda “Encanto Cirandeiro”, a se apresentar às 21h30 até às 22h10. Después, quem toma conta da arena é mais uma vez a dança internacional, mas dessa vez comandada por “Odálik” com a “Dança dos mistérios e sensualidade” que, de forma teatral, vai trazer a história dos contos árabes, das 22h15 até às 22h55.

Para finalizar a apresentação com chave de “hablar”, quem entra em cena às 23h é a ciranda “Imperatriz do Norte”, com o enredo “A Preservação da Amazônia”. Com referências à fauna, flora e aos animais em extinção, a comissão de frente da ciranda é composta por oito pessoas vestidas de onça pintada. Nas alegorias, a dança traz uma Oca de seis metros, com três vitórias-régias e rodeadas de cinco árvores. A novidade deste ano é a representação do ritual da Tucandeira dos índios da tribo Sateré-Mawé, com oito a dez homens em cena, com destaque para a índia branca em cima de uma alegoria de formiga.

As apresentações da mostra competitiva da categoria Prata encerram no dia 24. En seguida, habrá una muestra no competitiva del festival, en los días 25 mi 26, donde los grupos al margen de la disputa también pueden presentar sus trabajos y obtener la posibilidad de presentarse en la competencia 2016. A apuração e o resultado da mostra competitiva da categoria Prata deve ocorrer no fim do mês, después del cierre del festival. Los ganadores en cada modo de baile se unirán el próximo año la categoría de oro, que es coordinado por la SEC.

La programación completa del festival de, eso sucede todas las noches hasta 26 julio, Se puede acceder en el sitio Manauscult (www.manauscult.manaus.am.gov.br).


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505