• Geraldo Alckmin critica jornal O Estado de S. Paulo e nega acordo com líder de facção

    O governador de São Paulo disse, todavía, que a reportagemdesinforma o leitor”.
    29/07/2015 10h50 - Actualizado 29/07/2015 10h50

    Foto: reproducción


    O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), criticou o jornal O Estado de S. Paulo ao negar que o governo paulista tenha feito acordo com o Primeiro Comando da Capital (PCC) para cessar os ataques a policiais em 2006. Ele disse que a reportagemdesinforma o leitor”.

    Depoimento de um delegado da Polícia Civil, obtido pela reportagem, mostra que representantes da cúpula do governo estadual fizeram um acordo com o chefe do PCC, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, para pôr fim à onda de ataques da facção criminosa no Estado, En Mayo 2006.

    Em Sorocaba, dentro del estado, para a entrega de viaturas ao Corpo de Bombeiros, junto com o secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, Alckmin disse que não era o governador na época dos ataquesele havia renunciado para concorrer à Presidência da República e deixou o governo do Estado com seu vice na época, Claudio Lembo.

    São Paulo não tem acordo nenhum com o crime. Até lamento que o jornal ‘O Estado de S. Paulo’ tenha desinformado seus leitores, porque quem estabelece Regime Disciplinar Diferenciado, o RRD, não é o Executivo, é o Judiciário. Quem diz se determinado líder do crime fica 30 dias, 90 dias ou um ano (isolado) é o Judiciário, não o governo.

    Alckmin se referia a outra reportagem publicada na terça-feira, 28, pelo jornal O Estado de S. Paulo sobre o tema, mostrando que, depois do acordo, embora tenha planejado matar o governador e arquitetado um plano de fuga usando helicóptero, Marcola não voltou mais para o Regime Disciplinar Diferenciado, o mais duro do sistema prisional paulista.

    Fuente: Exame.com


    *** Si estás a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitando frecuentemente el AM POST.


    Facebook

    economía

    Contacto Terminos de uso