La producción industrial tiene el peor resultado desde 2009

O recuo foi maior do que o esperado por analistas.
02/09/2015 10h01 - Actualizado 2/09/2015 10h01
foto: Alexandre Battibugli / EXAMEN / SEE

A indústria brasileira segue apresentando resultados negativos neste ano. A atividade fabril registrou queda de 8,9% em julho em comparação com igual mês do ano passado, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) el miércoles. Trata-se do recuo mais acentuado desde 2009, quando o setor sentia os efeitos da crise global de 2008. Este também é o décimo sétimo mês seguido que a produção fecha no vermelho na comparação anuala última vez que teve crescimento foi em fevereiro de 2014 (4,8%).

Na passagem de junho para julho, a produção industrial encolheu 1,5%, sendo o segundo mês seguido de queda. Esta é a maior queda desde dezembro de 2014, quando registrou perdas de 1,8%.

O recuo foi maior do que o esperado por analistas consultados pela agência Reuters, que previam baixas de 0,1% na variação mensal e de 6,2% na anual.

Na comparação mensal, o IBGE verificou que houve redução na atividade industrial em 14 de 24 ramos pesquisados, com destaque para fábricas de produtos alimentícios (-6,2%), de bebidas (-6,2%), de coque, productos derivados del petróleo y los biocombustibles (-1,7%) e de indústrias extrativas (-1,5%).

fuente: Veja.com


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505