20/10/2015 14h36 - Actualizado 20/10/2015 14h36

Relator do Orçamento diz que não teráde cortar recursos do programa Bolsa Família

foto: revelación
foto: revelación

creado 2003 pelo governo Lula a partir da junção de uma série de programas sociais, o Bolsa Família entrou na mira do deputado Ricardo Barros (PP-PR), relator-geral do Orçamento de 2016. O deputado disse ao jornal O Estado de S. Paul, Barros que não teráde cortar recursos do programa para compensar a frustração da arrecadação da nova CMPF – que, parece, tem poucas chances de ser aprovada pelo Congresso. Fraudes no programa permitiriam o corte, segundo parlamentaria.

Com a ameaça de corte em uma das vitrines da gestão do PT, Barros pressiona a equipe econômica para tomar uma decisão rápida em relação a medidas de aumento de impostos. Ele já avisou que não pretende incluir a nova CPMF e tem defendido enfaticamente o aumento da Cide do combustível, que não precisa de aprovação no Congresso.

Com o Bolsa Família sob pressão de cortes, a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, defendeu os 28,8 bilhões de reais previstos no Orçamento de 2016 para o programa de transferência de renda, cuja medida provisória original completa 12 años el martes. Qualquer corte no programa, dijo, terá impacto no aumento da extrema pobreza. de acuerdo con su, en los últimos años, o Bolsa Família contribuiu para retirar 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza, y 8 milhões de crianças.

A ministra afirma que o “debate político” está contaminado as políticas públicas. “Não está sobrando dinheiro. Os valores presentes no Orçamento do ano que vem são muito exatos. Fizemos a conta na ponta do lápis. Não fizemos uma conta aproximada”, dijo el ministro. de acuerdo con su, fiscalizações de órgãos de controle apontam que as fraudes no programa não ultrapassam 1% la 14 milhões de famílias que ganham o benefício.

De acordo com a ministra, há um cruzamento de dados que comprovam a condição vulnerável das pessoas que recebem o Bolsa Família. São checadas informações sobre trabalho, renda e até a possibilidade de o beneficiário ter morrido, dice. “Pouco se discute o Bolsa Família, principalmente no Sul e no Sudeste, a não ser com base em preconceitos”, dice. A ministra desafiou as pessoas que afirmam conhecervizinho” o “alguémque receba o benefício sem necessidade a denunciá-lo.

fuente: Veja.com

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505
otal Cache -->