Tribunal Supremo niega encuesta confidencial Cunha en cuentas en Suiza

Segundo ministro Teori Zavascki, o regime de sigilo deve ser admitido em casos de exceção regulamentados por lei.
22/10/2015 13h07 - Actualizado 22/10/2015 13h07
foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O ministro e relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, negou nesta quinta-feira, 22, ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que o inquérito contra ele, a filha, Danielle, e a esposa Cláudia Cruz, tramitem na Corte em segredo de justiça.

Segundo o ministro, o regime de sigilo deve ser admitido em casos de exceção regulamentados por lei. “A hipótese dos autos não se enquadra em qualquer das situações em que se imponha reserva à cláusula de publicidade”, argumenta o ministro.

Cunha, a esposa e a filha são investigados por suspeita de terem contas secretas na Suíça que eram abastecidas com dinheiro desviado de contratos com a Petrobras, investigados na Operação Lava Jato, Policía federal.

fuente: Exame.com


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso