30/11/2015 12h25 - Actualizado 30/11/2015 12h25

Combustíveis: Álvaro Campelo não descarta a possibilidade de cartel em Manaus

Órgãos de defesa do consumidor se reuniram mais uma vez para discutir reajuste no preço.
foto: James Correa (CMM)
foto: James Correa (CMM)

Após a segunda reunião de representantes de órgãos de defesa do consumidor amazonense, para discutir constantes reajustes nos preços dos combustíveis em Manaus, El concejal Álvaro Campelo (PÁGINAS), presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (COMDEC) Alcalde de Manaos, disse que vê grande progresso. Ele admitiu que o processo “é um pouco mais difícil que a questão da energia elétrica”. Por eso, o grupo está tomando todas as precauções. “Estamos nos cercando de todos os cuidados, colhendo todas as informações para que a ação traga os resultados que a população espera”, dijo.

Álvaro Campelo vê avanços a passos largos nos dois encontros já realizados, e informou que agora o grupo tem a confirmação da Agência Nacional de Petróleo (ANP) sobre o indicativo de combinação de preços. “Isso é um forte indício de formação de cartel, e a ANP vem para corroborar esta informação”, dijo el concejal. Para o próximo encontro, o grupo aguarda mais informações que serão repassadas pela ANP, após contato com as distribuidoras, solicitando detalhes das planilhas com os detalhes de definição dos preços dos combustíveis.

Sobre a denúncia dos taxistas com relação aos aumentos nos preços do gás veicular, temos também a informação, por parte da Cigás, que o aumento concedido seria de 15 centavos, e os postos estão passando ao consumidor um aumento de 35 centavos, comentó Álvaro Campelo.

Esta luta para esclarecer e definir preços justos para os combustíveis em Manaus é mais difícil do que a atuação contra as abusivos reajustes nas contas de energia e a cobrança das bandeiras tarifárias. Por isso o grupo está tomando todas as precauções. “Estamos nos cercando de todos os cuidados, colhendo todas as informações, para que a ação traga os resultados que a população espera. É por isso que estamos realizando consecutivas reuniões, e vamos nos reunir pela terceira vez, porque apesar de estarmos pensando entrar com uma ação civil pública, não será como nos moldes da energia elétrica”, registrou o vereador.

A próxima reunião está agendada para a quinta-feira (3) também na sede do Procon municipal, na rua Afonso Pena, 38, Centro.

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505