19/11/2015 13h05 - Actualizado 23/11/2015 13h20

Governo do Estado está desenvolvendo projeto para solucionar impasse ambiental da BR-319

A informação é do governador José Melo.
foto: revelación (Secom)
foto: revelación (Secom)

O Governo do Amazonas está trabalhando um projeto técnico para solucionar o impasse ambiental que impede a conclusão da pavimentação da rodovia BR-319 (Manaus-Porto Velho). A informação foi dada na manhã desta quinta-feira, 19 Noviembre, por el gobernador José Melo, durante o Seminário de Apoio a Investimentos no Estado, realizado no Comfort Hotel, na zona sul de Manaus, como parte da programação da VIII Feira Internacional da Amazônia. De acuerdo con el gobernador, a ideia é proteger uma área de preservação que envolve 400 quilômetros de um trecho da estrada.

O projeto está sendo finalizado para ser encaminhado e discutido com o Instituto Brasileiro do meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e posteriormente enviado ao Governo Federal. Durante o Seminário, coordenado pela Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e que contou com a presença de representantes da classe empresarial e de instituições financeiras, como o Banco da Amazônia, caja de ahorros, Banco do Brasil e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o governador garantiu que o projeto vai apresentar a solução definitiva para a BR-319, que é fundamental do ponto de vista logístico para o Estado.

“Temos alguns desafios em relação à ZFM, mas vamos falar da BR-319 que é um deles, que nos permite uma ligação direta com o Sul do País, onde temos o maior mercado consumidor dos produtos da ZFM”, afirmou o governador ao falar dos principais entraves à economia do Estado. O projeto vai propor o “envelopamento” de um trecho de 400 quilômetros de estrada que vai do Igapó-Açu até a divisa com o município de Humaitá, uma área de preservação ambiental que tem sido o principal entrave dos ambientalistas para a liberação da obra. De acordo com José Melo, o projeto propõe que o Exército Brasileiro seja o guardião da área.

“Ali temos a mais rica biodiversidade do Amazonas. Eu sei, os ambientalistas sabem, os cientistas todos sabem. Não adianta querer fazer uma estrada tradicional num ambiente desse que não vão deixar”, dijo el gobernador, ao revelar que o projeto que está sendo desenhado pelo Governo do Estado é semelhante ao que já existe em estradas europeias que passam por áreas de preservação ambiental. “Você mete tela de um lado e outro. De um em um quilômetro faz um túnel para os animais passarem e pega o Exército Brasileiro para que seja o fiador da preservação ambiental desses 400 km. De esa forma, a gente tira todos os obstáculos que têm e agrada aos ambientalistas. No fundo eles têm razão. Aquela área é muito rica do ponto de vista da biodiversidade, mas não têm razão na medida em que nos impedem de ter uma saída para o resto do país”, Indicó que el gobernador.

Sobre o Seminário, José Melo afirmou ser uma oportunidade única para se discutir projetos de desenvolvimento regional. “Pela primeira vez temos aqui, Sudam, Banco de Brasil, Basa, Caixa Econômica e BNDES. É uma oportunidade única de se estabelecer regras facilitadoras para que o empresário possa acessar os recursos, produzir, gerar emprego e renda”, dijo el gobernador, ao ressaltar a presença no evento dos recém- empossados superintendentes da Sudam, Paulo Roberto Correia, e do Banco da Amazônia, Marivaldo Melo.

De acordo com Paulo Roberto Correia, o Seminário faz parte do projeto Sudam Itinerante, que tem como principal meta o estreitamento institucional com os governos dos Estados e instituições financeiras, com o objetivo de integrar e padronizar projetos de desenvolvimento. “A união de diversos atores nos oportuniza a trazer novos negócios, novas oportunidades para a região e para o Amazonas. Eu tenho muita fé que o Brasil vai sair logo da crise e temos que estar preparados para esse novo momento que vai acontecer a partir de 2016, padronizando os planos de investimentos que esses órgãos têm. Temos que unir esses planos e trabalhar em cima deles para que aconteça o que a gente espera que é a melhoria da qualidade de vida da sociedade”, disse o superintendente da Sudam.

Volume de investimentosOs volumes totais disponíveis para investimentos na região não foram revelados pela Sudam, porém somente para financiamentos via Fundo de Desenvolvimento da Amazônia (FDA), para 2016, Paulo Roberto informou que estão disponíveis R$ 1,4 millones. Otros R $ 800 milhões são referentes a laudos que devem ser entregues hoje a empresas que vão receber incentivos fiscais. “É um valor considerável que representa muito para a implantação da modernização de equipamentos na empresa. Eu tenho certeza que isso pode ser um diferencial tanto para criar quanto manter os empregos na região”, destacado.

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505