Acusado de terrorismo, UFRJ física debe salir de Brasil

13/01/2016 14h50 - Actualizado 13/01/2016 14h50
foto: reproducción

Condenado en Francia a cinco años de prisión por vínculos con los ataques terroristas, profesor de física y actual en la Universidad Federal de Río de Janeiro (UFRJ), Adlène hicheur, de 39 años, quiere salir de Brasil.

lunes (11), ele divulgou uma carta onde relata que apesar de ter sido preso, para 2009, a justiça francesa não conseguiu reunir provas suficientes contra ele e a condenação foi injusta.

Sin embargo, por uma “questão de honra”, como informaram seus amigos próximos ao jornal O Globo, Adléne quer sair do país antes que o seu visto seja suspenso.

Em uma carta enviada ao Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), Hicheur afirmou que sua acusação foi fabricada.

“Fui preso pela polícia francesa no fim de 2009 e a única justificativa de minha detenção foram minhas visitas aos chamados websites islâmicos subversivos. Fui privado da minha liberdade por dois anos apenas com base nisso. Nenhum outro elemento foi apresentado contra mim”, dice.

O jornal ainda diz que o físico, investigado pela Polícia Federal (PF), não informou quando e nem onde deve morar, mas a mudança será breve.

fuente: Exame.com


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505