05/01/2016 14H59 - Actualizado 5/01/2016 14H59

Corte de R$ 133 mi em verba da PF pode prejudicar Lava Jato

Por meio da operação, muitos políticos e empresários foram presos.
foto: Rodolfo Buhrer/ Reuters

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) publicou uma carta ao Ministério da Justiça cobrando mais recursos para manter suas operações. Um corte no orçamento da instituição de R$ 133 milhões está previsto na Lei Orçamentária Anual (carta de acuerdo) de 2016 aprovada pelo Congresso Nacional.

O texto afirma que redução do caixa gerará umadrástica diminuição das ações investigativasdo órgão e fala em “desmonte” por PF. Os delegados pedem ainda maior atuação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, em denunciar e combater a situação desucateamento” la institución. (Veja abaixo o texto completo da carta)

De acuerdo con la asociación, há alguns anos existe umpé no freiocom relação às despesas com custeio, diárias e passagens, diminiuindo a estrutura de operação.

Assim sendo, há uma priorzação de recursos para que operações como a Lava Jato e Zelotes continuem sem empecilhos, pero, de acordo com a ADPF, nem essa margem de investimento estaria garantida com a redução de verba.

Esse corte de agora afeta até essa priorização, o que pode atingir, sim, as grandes operações”, afirma Carlos Eduardo Miguel Sobral, presidente da ADPF e do Conselho de Diretores Regionais da associação em entrevista a EXAME.com. “Não dá para fazer um corte dessa magnitude em um orçamento combalido.

Segundo Sobral, a PF trabalhava até 2015 com a máquina no limite, já que foram suspensos projetos de inovação como a pesquisa para uso de VANTs (Veículos Aéreos Não Tripulados) e o Cintepol (Centro Integrado de Inteligência Policial e Análises Estratégicas), onde seriam aperfeiçoadas as atribuições de inteligência policial.

Já era uma situação bastante critica, então tenho certeza que assinamos a carta em nome dos delegados de todo o Brasil”, diz Sobral. “O sentimento de encolhimento é generalizado.

O QUE DIZ O GOVERNO

En respuesta, o MJ publicou uma nota refutando o que consideraequívocos injustos e absurdosreclamados pela ADPF. Por valores corrigidos pela inflação, o ministério alega que houve um crescimento do orçamento total da instituição da ordem de 43% desde 2003.

O ministério desmente, de forma categórica, outras colocações divulgadas pela ADPF à imprensa, ao deixar claro que não há qualquer paralisação de projetos ou atividades estratégicas na Polícia Federal por falta recursos ou em razão de eventual corte no orçamento daquela instituição”, el texto dice. “Destaca ainda que em 2015, ano de forte restrição orçamentária, a Polícia Federal manteve um orçamento praticamente idêntico àquele executado em 2014.

O MJ cita ainda a aprovação das leis de Combate às Organizações Criminosas e à Lavagem de Dinheiro como formas de apoio à PF e pede o diálogo para superação de desafios.

fuente: Exame.com

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505