25/02/2016 10h34 - Actualizado 25/02/2016 10h34

Lava Jato suspeita que verba da Odebrecht era para memorial de Lula

O montante é de R$ 12,4 millón.
foto: Reproducción / SEE
foto: Reproducción / SEE

A força-tarefa da Operação Lava Jato suspeita que o montante de 12,4 milhões de reais citado em uma planilha apreendida pela Polícia Federal na 23ª fase da operação, a Acarajé, pode estar relacionado ao projeto do Instituto Lula de construir o Memorial da Democracia, en Sao Paulo. A informação foi publicada em reportagem do jornal O Globo nesta quinta-feira.

A tabela encontrada foi encontrada em um e-mail secreto atribuído ao executivo da Odebrecht Fernando Migliaccio, que foi preso na Suíça enquanto tentava fechar contas bancárias em Genebra. Em uma das anotações no documento, está escritoPrédio (IL)” ao lado da quantia de 12,4 millones de reales. A PF relacionou as letras com o Instituto Lula e levantou a possibilidade de os recursos terem sido usados para pagar despesas da entidade pela Odebrecht.

“tan, caso a rubrica ‘Prédio (IL)’ refira-se ao Instituto Lula, a conclusão de maior plausibilidade seria a de que o Grupo Odebrecht arcou com os custos de construção da sede da referida entidade e/ou de outras propriedades pertencentes a Luiz Inácio Lula da Silva”, diz o texto assinado pelo delegado da PF Filipe Pace.

O prédio do Memorial da Democracia seria construído em um terreno de 4,3 mil metros cuadrados, que foi cedido pela prefeitura de São Paulo sem licitação, no bairro da Luz, centro de São Paulo. A obra foi paralisada, sin embargo, após o Ministério Público de São Paulo entrar com uma ação contra o Instituto Lula e a administração municipal.

Na época do lançamento do memorial, en 2012, Paulo Vanucchi, encarregado do projeto, afirmou que ele seria construído integralmente com doações da iniciativa privada. Ao atender ao pedido do MP, o juiz Adriano Laroca, da 12ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, proibiu que a obra fosse iniciada, argumentando que o terreno deveria ser para uso público e que havia o risco de que o memorial se tornasse em um lugar depromoção pessoal do ex-presidente Lula e de seu partido”.

Com base nos indícios aventados na tabela, a delegado escreveu no inquérito que opossível envolvimentode Lula compráticas criminosasdeve ser investigado comparcimônia”, “o que não significa que as autoridades policiais devam deixar de exercer seu míster constitucional”.

fuente: Veja.com

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505