01/03/2016 10h27 - Actualizado 1/03/2016 10h27

CMM delibera projeto que cria ‘Semana de Valorização da Vida’

A proposta é do vereador Professor Samuel e tem a finalidade de de desenvolver ações educativas nas escolas.
foto: reproducción
foto: reproducción

O plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM) deliberado, el lunes (29), Proyecto de Ley No. 007/2016, que institui a quarta semana do mês de maio como a “Semana da Valorização da Vida Humana” e enviou a matéria para análise da Comissão de Constituição, Justicia y escritura (CCJR) la Legislatura.

A proposta é de autoria do presidente da Comissão de Direitos Humanos da CMM, El concejal Samuel Maestro (PHS) e foi protocolada com o objetivo de promover anualmente, las actividades de desarrollo, campanhas e projetos voltados a reduzir o alto índice de casos de homicídios na cidade.

“Fico feliz que meus colegas vereadores tenham entendido o valor social que a nossa proposta possui. É muito triste ver, Actualmente, a banalização da vida. hoy, qualquer tipo de briga ou rixa pessoal é motivo para matar. É como se algumas pessoas tivessem esquecido a importância da vida, muitos deles se julgam autossuficiente para tirar a vida do próximo. Os números oficiais de homicídios mostram essa isso”, enfatizou o parlamentar.

Pela proposta de Samuel, na Semana da Valorização da Vida serão desenvolvidas ações educativas através de palestras, seminários, conferências e atividades culturais e de lazer. As escolas, colégios e entidades não governamentais poderão desenvolver programações com atividades práticas de incentivos a valorização da vida humana.

Números
De acordo com levantamento da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), o ano de 2015 fechou com 948 pessoas presas por homicídios no sistema prisional, y 541 por homicídios simples e 407 por qualificados em todo o Estado.

O número de homicídios aumentou em janeiro deste ano, se comparado ao mesmo período do ano passado, chegando a uma média de 2,9 mortes por dia. Outra estatística da SSP-AM aponta que 70% dos assassinatos na capital são decorrentes do tráfico de drogas.

“Pelo que percebemos nas estatísticas da SSP, os motivos fúteis para se tirar a vida crescem e nosso projeto busca sensibilizar crianças e adolescentes sobre esses números. Precisamos tomar providências para coibir uma cultura de morte que tem se instalado na nossa capital e por meio de políticas públicas podemos começar a cultivar valores que defendam o sentido da vida”, concluyó Samuel.

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505