31/03/2016 09h08 - Actualizado 31/03/2016 09h08

Ipem-AM realiza blitz relâmpago em táxis de Manaus para verificar regularidade dos taxímetros

A blitz foi realizada na tarde da quarta-feira, 30.
foto: Nathalie Brasil / Secom
foto: Nathalie Brasil / Secom

O serviço de táxi em Manaus foi alvo de blitz na quarta-feira, 30 de marzo, para verificar o funcionamento dos taxímetros. A operação do Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (IPEM-AM) e Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) começou com abordagens em pontos localizados na avenida Mário Ypiranga Monteiro, en el barrio de Adrianópolis, al sur de la capital. Denúncias recebidas no Ipem-AM indicam adulteração em equipamentos para aumentar o valor das corridas. O caso também foi encaminhado para investigação policial.

Neste primeiro dia de operação, o Ipem-AM não flagrou nenhum permissionário do serviço de táxi rodando com irregularidade no taxímetro. Das abordagens feitas, apenas um condutor foi notificado por inconsistência no número do documento que autoriza a circulação de transporte particular. De acuerdo con el director general de IPEM-AM, Márcio André Brito, a fiscalização aos táxis faz parte do calendário de operações do órgão, mas a intensificação se deve ao crescimento do número de denúncias. Más que 40 reclamações foram registradas na ouvidoria do órgão este ano, com denúncias apontando possíveis fraudes no taxímetro para inflacionar o valor das corridas.

“O que nós queremos promover é a corrida com a cobrança justa, garantir que o taxista que está totalmente legalizado tenha seu direito respeitado e não tenha que concorrer com profissionais que praticam algum tipo de fraude. Os clientes que utilizam o serviço saem ganhando. Um dos indícios de que o taxímetro pode ter algum problema é se ele tem problemas com o lacre o Inmetro”, enfatizou o diretor do Ipem-AM.

Teste e custos de corridaOs permissionários dos serviços de táxi foram encaminhados para o teste de quilometragem do taxímetro no posto do Ipem-AM no PAC do bairro Educandos, onde os fiscais do Ipem-AM fizeram uma corrida com os motoristas para verificar se o valor cobrado pelo quilômetro rodado está correto. A bandeira é de R$ 4, valor cobrado do consumidor ao entrar no veículo. Cada quilômetro do trajeto tem um custo para o usuário. Na bandeira 1, o quilômetro custa R$ 2,60. Já na bandeira 2, a tarifa por quilômetro é de R$ 3,65.

Além da correção dos valores, a fiscalização também observou o funcionamento do visor e do lacre do Inmetro. As multas por irregularidades variam de R$ 1,5 R $ MIL 50 mil, segundo o Ipem-AM. Cerca de quatro mil veículos compõem a frota de táxis em Manaus. No Ipem-AM, os taxistas obtêm o certificado anual de regularidade dos taxímetros. A verificação periódica é feita conforme calendário padrão, de acordo com o final da placa. Mas o órgão realiza fiscalizações nas ruas, ao longo do ano, para coibir irregularidades.

O diretor do Ipem-AM, Márcio André Brito, informou que as fiscalizações vão continuar. “Quem for flagrado praticando alguma fraude terá o taxímetro apreendido, o carro será apreendido junto ao SMTU, e a multa pode chegar a R$ 50 mil”.

queja A população pode ajudar denunciando possíveis irregularidades à Ouvidoria do Ipem-AM, por teléfono 0800 092 2020. O serviço funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h30.

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505