Para Luiz Castro é impossível dissociar saúde pública e meio ambiente

A falta de saneamento básico e a ausência de educação ambiental resultam em diversos tipos de doenças.
04/03/2016 14h58 - Actualizado 4/03/2016 14h58
foto: revelación

A falta de saneamento básico e a ausência de educação ambiental resultam em diversos tipos de doenças, das respiratórias até o Zika Vírus. Esta é a constatação do presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (común), Luiz Castro (red), ao associar saúde pública e meio ambiente.

O deputado estadual lembrou que a carência do saneamento básico em 90% das residências de Manaus resulta em esgoto a céu aberto: igarapés que transpassam a cidade recebem os resíduos das casas, sem nenhum tratamento.

As consequências são graves – como a presença do mosquito Aedes aegypti, que transmite o Zika e pode causar microcefalia – e envolvem especialmente as populações de baixa renda, como no caso do Igarapé do 40, Programa Social y Ambiental para el Igarapés de Manaus (PROSAMIM).

Para Luiz Castro, não basta retirar as casas e palafitas das margens dos igarapés, precisa também de saneamento básico com um sistema que funcione. “É preciso organizar a coleta de lixo, associar educação ambiental à rotina de todos para que as águas voltem a ser limpas, como eram no passado”, assinalou.


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505