la mayoría del Senado está a favor de la apertura del proceso de destitución

De acuerdo con la encuesta, 42 de 81 senadores declararam concordar com a admissibilidade do processo.
13/04/2016 10h30 - Actualizado 13/04/2016 10h30
foto: reproducción

Levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo publicado nesta quarta-feira revela que a maioria dos senadores são favoráveis à abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff na Casa. De acuerdo con la encuesta, 42 de 81 senadores declararam concordar com a admissibilidade do processo de deposição, mi 17 se manifestaram contrários. Dez estão indecisos. Para que o processo seja admitido e aberto na Casa, o que faria a presidente Dilma ser afastada do cargo, son necesarios 41 votos.

Entre os parlamentares a favor do prosseguimento do processo está o ex-líder do governo e agora delator da Operação Lava Jato Delcídio do Amaral (SRA) e a ex-petista Marta Suplicy (PMDB-SP). El presidente del Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e outros sete senadores não quiseram responder e quatro não foram encontrados, entre eles Fernando Collor (PTC-AL) y Jader Barbalho (PMDB-PA), el periódico.

A abertura do processo de impeachment será votada no Senado caso a Câmara aprove, domingo, o relatório pró-impeachment do deputado Jovair Arantes (PTB-GO). Se o processo for instaurado no Senado, Dilma é afastada por 180 dias até ser julgada pelos senadores e o vice-presidente Michel Temer assume a Presidência provisoriamente.

Para que a petista seja condenada e perca o mandato definitivamente, dois terços, o 54 de 81 senadores, devem votar favoravelmente ao impeachment. En este caso, Dilma fica inelegível por oito anos. Se os dois terços favoráveis ao impedimento não forem alcançados, a petista é absolvida e reassume o governo imediatamente.

fuente: Veja.com


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505