26/04/2016 08H47 - Actualizado 26/04/2016 08H47

Portos precários e ausência de hidrovias travam rota comercial Manta-Manaus

Trajeto pode reduzir rota comercial entre Brasil e Ásia em 25 días.
Falta de uma alfândega no Porto de Tabatinga foi apontada como um dos principais entraves. foto: (revelación)
Falta de uma alfândega no Porto de Tabatinga foi apontada como um dos principais entraves. foto: (revelación)

Encurtar em 25 dias a duração do transporte de mercadorias entre Ásia e Manaus é o principal objetivo da rota multimodal Manta-Manaus. A implantação efetiva da rota foi alvo de Audiência Pública, el lunes (25), realizada pelo deputado estadual Sinésio Campos (PT) Amazonas en la Asamblea Legislativa (peligro), en Manaus.

Segundo informações do deputado, o tempo de trajeto entre Ásia e Manaus varia entre 31 mi 35 días, y 22 dias apenas de Manta (Ecuador) a Manaus. O mesmo percurso com saída da Ásia aumenta para 41 un 60 dias quando há passagem pelo Canal do Panamá, “sem falar nos dias em que os navios ficam na fila esperando a vez pra passar no Canal do Panamá”.

A rota é utilizada atualmente, mesmo que de forma precária e por embarcações de pequeno porte, “porque alguns rios precisam ser transformados em hidrovias de verdade e os portos do lado brasileiro ainda são ruins, são simples”, como apontou o diretor do Escritório Comercial do Equador no Brasil, Alexis Villamar Fabara.

“Pensamos em vender flores e produtos alimentícios, produtos do setor primários, e esperamos comprar motocicletas, celulares, televisores e linha branca”, adiantou Fabara, cujo escritório é ligado diretamente ao Ministério do Comércio Exterior do Equador, sobre os produtos que seriam inicialmente comercializados entre Equador e Brasil.

O ministro da Embaixada do Equador no Brasil, Santiago Chávez, mostrou-se animado com a possibilidade da melhoria de condições da rota Manta-Manaus, principalmente depois que a presidenta do Brasil Dilma Rousseff visitou a capital equatoriana Quito, en 26 de janeiro deste ano, quando classificou o projeto de estruturação da rota como “prioridade para o comércio brasileiro com a América do Sul”.

“Não somente a presidente do Brasil, mas a Unasul (União das Nações Sul-Americanas) também vê Manta-Manaus como prioridade. Esse fato deixa o governo equatoriano muito feliz. Pensamos que agora finalmente a rota será melhorada e poderemos fortalecer nossas relações comerciais”, disse Chávez.

A reunião teve, todavía, participação de representantes da Prefeitura de Manaus e de Tabatinga, do Governo do Estado do Amazonas, Superintendencia de la Zona Franca de Manaus (Suframa), Departamento Nacional de Infraestructura de Transporte (DNIT), Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam) e Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam).

“Não adianta o Equador viabilizar o lado deles, com portos e estradas de primeira, e quando chegar ao Brasil a coisa parar por falta de infraestrutura em porto e pelos rios estarem sem dragagem, sem condições de ser uma hidrovia de fato”, concluiu o autor da audiência pública, deputado estadual Sinésio Campos.

A Audiência Pública foi encerrada com quatro encaminhamentos: criação da Frente Parlamentar Peru-Equador-Brasil para implantação efetiva da rota multimodal Manta-Manaus (1); reativação da Comissão Bilateral para o Eixo Multimodal Manta-Manaus, creado en 4 de abril de 2007, pelos presidentes brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva e equatoriano Rafael Correa Delgado (2); constituição de um grupo de trabalho do projeto eixo multimodal Manta-Manaus para defender os interesses do Amazonas e da Amazônia (3); e melhoria da infraestrutura do Porto de Tabatinga, com instalação de uma alfândega no local.

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505