12/04/2016 18h58 - Actualizado 12/04/2016 18h58

PP anuncia maioria contra Dilma

O partido foi um dos principais alvos do Planalto no saldão de cargos promovido pelo governo.
foto: revelación
foto: revelación

No momento em que o governo entra em pressão máxima, a bancada do PP na Câmara dos Deputados anunciou nesta terça-feira apoio maciço ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. Una leyenda, formada por 47 parlamentario, foi alvo de dura investida do Planalto nas negociações de cargos no alto escalão, pero, todavía así, sua maioria deve votar favoravelmente à queda da petista.

O anúncio foi feito pelo líder da legenda e ex-ministro de Dilma, deputado Aguinaldo Ribeiro (PB), após reunião de duas horas nesta tarde. Ribeiro afirmou que o encontro decidiu pelaunidade da bancadae que o partido, “em sua maioria absoluta e ampla, deliberou pelo encaminhamento em plenário no voto sim do processo do impeachment”. Isso significa que os parlamentares serão orientados a seguir a maioria em seus votos, mas não serão punidos caso optem por votar contra o impeachment.

O PP atualmente comanda o Ministério da Integração Nacional e está entre os principais cotados em uma reforma promovida pela presidente Dilma caso sobreviva ao impeachment. A oferta feita pelo Planalto amplia a participação da legenda na Esplanada, ganhando também o Ministério da Saúde, e ainda em uma das grandes estatais brasileiras, levando o comando da Caixa Econômica Federal.
Nos cálculos de deputados pró-impeachment, a posição da legenda desta terça deve fazer com que 40 parlamentares do PP votem contra Dilma no próximo domingo. “Isso decide a votação. Vários deputados disseram que são contra ou indecisos, mas que seguem posição da bancada”, afirmou o deputado Jerônimo Goergen (RS). “A posição reverte totalmente o quadro”, avalia o deputado Afonso Hamm (RJ).

Até agora um aliado da presidente Dilma, o deputado e ex-prefeito Paulo Maluf (SP) justificou seu voto pelo impeachment: “Apesar de todas as convicções de que temos uma presidente correta, decente e o honesta, o governo perdeu as condições de governabilidade”, dijo. Después de la reunión, o líder Aguinaldo Ribeiro foi ao encontro do presidente do PP, Ciro Nogueira, comunicar a decisão e discutir a possibilidade de entregar os cargos que a legenda mantém no governo. Nogueira é aliado da presidente Dilma e resiste em apoiar o rompimento com o Planalto.

fuente: Veja.com

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505
enabled | cached | 990 | SELECT translated, source FROM wp_translations WHERE original = 'ampost.com.br/wp-content/uploads/2016/04/aguinaldo-ribeiro-divulgacao-pp-original-Copy.jpg' and lang = 'es' Served from: ampost.com.br @ 2016-12-09 07:45:25 by W3 Total Cache -->