25/05/2016 16h09 - Actualizado 25/05/2016 16h09

audio, Sarney promete ajudar investigado pela Lava Jato a escapar de Moro

Sarney lamenta que conversas privadas tornem-se públicas porque podem ferir pessoas.
foto: reproducción
foto: reproducción

Em novo áudio obtido pelo jornal Folha de São Paulo, o ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP) prometeu ajuda ao ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado em investigação no âmbito da Operação Lava Jato.

Sarney promete auxílio para evitar que o caso de Machado seja transferido para a vara do juiz federal Sérgio Moro, en Curitiba (PR), com a ressalva de nãometer advogado no meio”.

De acuerdo con el periódico, Machado teria manifestado aproximação da Procuradoria Geral da República para um acordo de delação premiada, fato que gerou preocupação do ex-presidente.

Nós temos é que fazer o nosso negócio e ver como é que está o teu advogado, até onde eles falando com ele em delação premiada”, disse o ex-presidente em áudio obtidos pela Folha. “Mas nós temos é que conseguir isso [o pleito de Machado]. Sem meter advogado no meio”.

De acordo com a reportagem, a estratégia de Sarney para a dadamissãonão fica clara ao longo dos diálogos obtidos, pero “envolvia conversas com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e com o senador Romero Jucá (PMDB-RR)”.

Machado usou as conversas realizadas em março deste ano justamente com esses interlocutores para fechar um acordo de delação premiada com a Procuradoria Geral da República. O contrato foi homologado pelo ministro do STF Teori Zavascki nesta terça-feira (24).

Machado pede que Sarney entrasse em contato com Renan assim que estabelecesse um horário e local para reunião, según el diario. O ex-executivo da Transpetro pede que Jucá esteja presente, mas Sarney rejeita a possibilidade.

Segundo a Folha, o ex-presidente disse que não achava o atoconveniente”, por juntar muita gente para tratar do assunto. “Três é comício”, dicho.

Diz o jornal que, en conversaciones, Sarney deixa claro que concordava com a iniciativa de impedir que o caso de Machado fosse enviado para Moro. “O tempo é a seu favor. Aquele negócio que você disse ontem é muito procedente. Não deixar você voltar para lá [Curitiba]”, dijo que el ex presidente, según Folha.

Como resposta ao jornal, en un comunicado, o ex-presidente Sarney diz que não tem como responder às perguntas pontuais feitas pela Folha por não conhecer o inteiro teor dos áudios.

Exame.com

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505