10/05/2016 15H26 - Actualizado 10/05/2016 15H26

Titulares da Mesa da Câmara pedem renúncia ou afastamento de Maranhão

Caso renuncie, serão convocadas novas eleições no prazo de cinco sessões.
foto: reproducción
foto: reproducción

O segundo vice-presidente da Mesa Diretora da Câmara, deputado Fernando Giacobo (PR PR), dijo hoy (10) que todos os cinco integrantes titulares do colegiado pediram diretamente ao presidente em exercício da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), que renuncie ao cargo ou peça afastamento do mandato e da função.

“É uma decisão exclusiva. Ele escutou atentamente e prometeu resposta o mais rápido possível”, disse Giacobo, afirmando que esta posição pode ser anunciada ainda nesta terça-feira. Caso renuncie, serão convocadas novas eleições para o cargo no prazo de cinco sessões. No caso da segunda opção, que seria o afastamento por 120 dias do mandato, como prevê o regimento interno, Giacobo assumiria a vaga.

“Acho que tenho apoio da Mesa Diretora até porque a proposta foi por unanimidade entre os titulares.” De acordo com o vice-presidente, está claro para a maioria que Maranhão adotou uma “decisão equivocada e inválida” ao decidir anular a sessão da Câmara que aprovou o impeachment da presidenta Dilma Rousseff e “continuou falhando” quando, esta mañana temprano, anulou a medida.

Segundo Luiza Erundina (PSOL-SP), terceira suplente da Mesa e única a ponderar uma outra saída para Maranhão, o presidente em exercício ficou sem alternativas. Ela afirmou que os titulares e demais suplentes entraram na reunião “com decisão fechada”. Conforme Erundina, Maranhão justificou a anulação da decisão afirmando que “tinha se equivocado”.

Erundina cobrou da Mesa uma posição em relação a Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afastado do cargo pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e que responde a uma representação no Conselho de Ética da Casa desde novembro. “Em nenhum momento vi o colegiado cobrar nada de Eduardo Cunha, que passou um ano e meio prejudicando os trabalhos da Câmara. Pedi explicação sobre os dois pesos e duas medidas”, agregó. Según parlamentaria, a Câmara precisa acelerar o processo contra o peemedebista para dar uma resposta à situação que vive.

Durante a manhã de hoje, lideres favoráveis ao impeachment se reuniram para defender o afastamento de Maranhão. O encontro foi suspenso para dar tempo a tratativas que seguirão por toda a tarde, inclusive com o próprio pepista.

A bancada do PP na Câmara também tentou um consenso sobre o futuro do parlamentar e chegou a defender a expulsão de Maranhão da legenda. O martelo seria batido no fim da tarde de hoje durante a Executiva Nacional do PP, que acabou sendo cancelada a pedido de Maranhão, que pediu mais tempo para se manifestar sobre uma possível renúncia.

Agencia Brasil

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505