Unión de Estudiantes acusa director de la UEA “boicoteo” debate político que terminó en confusión

A informação consta em nota assinada pelo vice-presidente da UMES.
04/05/2016 13h46 - Actualizado 4/05/2016 13h57
foto: revelación

La Unión Municipal de Estudiantes Secundarios (UMES) emitido, el miércoles (4), una nota de repúdio contra as ações da professora e diretora da Escola Normal Superior da Universidade do Estado do Amazonas, Egle Wanzeler. El viernes (29), a diretora e alunos da instituição filiados ao PCdoB, impediram que pessoas à favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) se manifestassem durante um debate na instituição.

la nota, assinada pelo vice-presidente da União Municipal dos Estudantes Secundaristas, Kaillon Silva, a UMES acusa a diretora de usar o seu cargo paraboicotar um evento democrático devidamente autorizado pela reitoria da UEA, constrangendo alunos e professores e até mesmo chegando a tentar decretar ponto facultativo”. Na página do Facebook a UMES publicou informativo de que fará um debate democrático nesta quarta-feira às 17h com espaço pararepresentantes de todas as linhas ideológicas”.

Echa un vistazo a la nota en su totalidad:

## NOTA DE REPUDIO ##

União Municipal dos Estudantes Secundaristas – UMES

Hoje estaremos sim discutindo DEMOCRACIA!!!
Um ato de coragem pela Pátria por parte daqueles que querem construir um novo Brasil. E não é a professora Eglê Wanzeler (diretora da Escola Normal Superior da UEA) que vai nos impedir de mostrar pra sociedade a verdadeira farsa comunista que estão tentando implantar no nosso País.

O evento que organizaremos será bem diferente do que ocorreu na Sexta, 29/04, onde não houve espaço para o contraditório, como manda a Constituição Federal. Chamamos representantes de todas as linhas ideológicas e políticas para um debate sério e pautado no respeito e na democracia.

A diretora Eglê vem usando de seu cargo para boicotar um evento democrático devidamente autorizado pela reitoria da UEA. Constrangendo alunos e professores e até mesmo chegando a tentar decretar ponto facultativo, atribuição totalmente fora da sua alçada. Nós da UMES manifestamos o nosso repúdio a essas ações autoritárias e ilegais e pedimos para que logo sejam tomadas as devidas providências contra todos os servidores públicos que estão cumprindo de maneira errada suas atribuições.

No más, convidamos a todos os Estudantes de Manaus a se fazerem presentes neste debate que ocorrerá daqui a pouco, as 17h, no Hall da Escola Normal Superior (ENS/UEA) e fazer valer nossos direitos assegurados pela Carta Magna.

Kaillon Silva
Vice-Presidente da União Municipal dos Estudantes SecundaristasUMES/Manaus


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505