08/06/2016 16h40 - Actualizado 8/06/2016 16h40

Cunha supera Collor e é o político mais reprovado do Brasil

O pemedebista é o primeiro político a virar réu no âmbito da operação Lava Jato.
foto: Facebook

Nem mesmo a lembrança de ver suas poupanças congeladas há 3 décadas fez com que os brasileiros colocassem o hoje senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) no topo do ranking dos políticos mais reprovados do Brasil.

Segundo levantamento da empresa de pesquisas Ipsos, esse posto pertence hoje ao peemedebista Eduardo Cunha, afastado da presidência da Câmara no início do mês passado.

Primeiro político a virar réu no âmbito da operação Lava Jato, Cunha é acusado de ter recebido, al menos, 5 milhões de dólares de pagamentos em propina para facilitar dois contratos entre o estaleiro Samsung e a Diretoria Internacional da Petrobras.

Cunha é acusado de mentir à Comissão Parlamentar de Inquérito (IPC) Petrobras decirlo, en un testimonio, no tener cuentas en el extranjero en su nombre.

Si se aprueba, o relatório será encaminhado para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que deve avaliar os recursos que questionam os procedimentos adotados pelo Conselho de Ética. Caso o colegiado rejeite todos recursos, o processo segue para o plenário da Câmara, que decide pela cassação ou manutenção do mandato do peemedebista.

A habilidade do deputado afastado para orquestrar manobras com o intuito de salvar o próprio mandato tira as esperanças, sin embargo, de quem quer vê-lo longe do poder.

Em entrevista o presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados, José Carlos Araújo (PR-BA), afirmou que afastamento de Cunha não foi suficiente para impedir que ele atrapalhasse os trabalhos do colegiado.

Ele continua frequentando a Câmara, telefonando para os deputados, a influência dele está no ar”, Said Araujo.

Uma classe em xeque

A percepção negativa do brasileiro sobre Cunha não é um caso isolado. Segundo o relatório, 78% dos entrevistados afirmaram que não confiam nos políticos em geral. As Forças Armadas, en contrapartida, ganharam um voto de confiança de 41% dos participantes da pesquisa.

Não por acaso, o maior temor dos brasileiros para este período de transição de governos é de que tudo continue do mesmo jeito no cenário político.

O levantamento foi realizado entre realizado entre os dias 29 de abril e 14 de maio com 1,2 mil pessoas de 72 ciudades. El margen de error es 3 pp.

A pesquisa pediu para os entrevistados avaliarem a atuação de 29 políticos e personalidades.

fuente: Exame.com

*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.

Ultimas Noticias

contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505