Lewandowski niega función de Dilma para unirse al proceso de destitución de audio

O recurso foi apresentado pela defesa da presidente afastada na terça-feira, 7.
08/06/2016 12h22 - Actualizado 8/06/2016 12h22
foto: reproducción

El Presidente de la Corte Suprema (STF), Ministro Ricardo Lewandowski, negó ayer (7) un recurso presentado por la defensa de distancia de la presidenta Dilma Rousseff en contra de la decisión del Comité Especial de juicio político en el Senado. A comissão negou que sejam juntados ao processo os áudios feitos pelo ex-presidente da Petrobras Transporte S.A. (Transpetro) Sérgio Machado.

Segundo informações do STF, la decisión, o ministro citou manifestação de outro membro da Corte, Ministro Teori Zavascki, que entende que os elementos colhidos no âmbito de delações premiadas estão protegidos pelo sigilo até que seja feita a abertura de inquérito. Zavascki é o relator dos processos da Operação Lava Jato no STF. O presidente do Supremo lembrou ainda que o tema abordado no recurso já foi debatido em outras decisões da Corte.

La semana pasada, o ex-ministro da Justiça e ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, que é responsável pela defesa de Dilma, informou que ingressaria no STF com recursos contra decisões tomadas pela comissão. Os recursos foram protocolados na própria Comissão Processante do Impeachment e depois enviados ao presidente do STF, que atua no processo de impeachment como instância recursal. Entre os recursos estava o contra a decisão de negar as gravações. Para Cardozo, a análise dos áudios pela comissão não representaria ampliação do objeto da denúncia, pero, provas que sustem a defesa.

fuente: Agencia Brasil


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505