• Operação da PF busca grupo acusado de transportar madeira ilegal

    Além dos mandados de prisão, estão sendo cumpridos mandados de condução coercitiva e de busca e apreensão.
    12/07/2016 13h37 - Actualizado 12/07/2016 13h37

    Foto: reproducción


    Com objetivo de combater um esquema criminoso de transporte de madeira ilegal, inclusive com a participação de agentes públicos, a Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) deflagraram na manhã de hoje (12) a Operação Cupinzeiro. Os policiais cumprem 55 mandados judiciais, siendo 11 de prisão temporária, em nove municípios do Pará, Maranhao, de Sergipe e do Piauí.

    Segundo a PF, os alvos são madeireiros, policiais rodoviários federais, fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda do Pará e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente do município de Dom Eliseu, no nordeste do estado, e transportadores de madeira.

    Além dos mandados de prisão, estão sendo cumpridos mandados de condução coercitiva e de busca e apreensão, nas cidades de Belém, Ananindeua e Dom Eliseu, no Pará; Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Trizidela do Vale e Itinga, en Maranhão; Ribeirópolis, em Sergipe, e Eliseu Martins, no Piauí.

    As investigações começaram em 2015, pela Corregedoria Regional da PRF do Pará. A PF apurou ainda que o esquema criminoso foi responsável pela série de atos de vandalismo em Dom Eliseu, em dezembro do ano passado, quando estava em curso uma operação de combate a crimes ambientais na região.

    “Madeireiros, agentes públicos e intermediários se reuniram para instigar e financiar depredação, furtos e incêndios em Dom Eliseu, às sedes da PRF, Cámara, prefeitura e Departamento Municipal de Trânsito”, informa em nota a Polícia Federal.

    Os envolvidos no esquema são acusados dos crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, falsificação de documento público, falsedad ideológica, incêndio doloso e danos ao patrimônio público. Os presos serão encaminhados para a Superintendência da Polícia Federal no Pará para serem ouvidos e depois serão postos à disposição da Justiça.

    Fuente: Agencia Brasil


    *** Si estás a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitando frecuentemente el AM POST.


    Facebook

    economía

    Contacto Terminos de uso