• WhatsApp pode acessar conversas deletadas pelos usuários

    Pesquisador descobriu ao examinar imagens de disco da versão mais recente do aplicativo, que o WhatsApp retém traços forenses dos registros de conversa.
    29/07/2016 12h07 - Actualizado 29/07/2016 12h07

    Foto: reproducción


    Embora afirme constantemente que não possui acesso ao conteúdo das conversas entre seus usuários, o WhatsApp, en verdad, tem como cavucar nos seus registros para encontrar essas informações — mesmo depois de os usuários terem deletado as mensagens.

    A descoberta foi feita pelo pesquisador especializado em iOS Jonathan Zdziarski. Ao examinar imagens de disco da versão mais recente do aplicativo, ele percebeu que o WhatsApp retém traços forenses dos registros de conversa. Esses dados podem ser acessados tanto fisicamente quanto remotamente, por meio de sistemas de backup.

    El problema, segundo Zdziarski, está no banco SQLite usado pela empresa nos códigos do app, porque ele não faz a sobreposição de dados automaticamente. Así, mesmo que esteja marcada como apagada, cada mensagem permanece disponível dentro do app ou em serviços de armazenamento como iCloud.

    O WhatsApp possui um esquema forte de criptografia que impossibilita o acesso às conversas quando elas estão em trânsito. Só que quando as mensagens chegam nos aparelhos a história muda.

    Não que essa situação seja exclusiva do WhatsApp. Em conversa com o The Verge, Zdziarski afirmou que vários serviços similares deixam traços forenses — “[los] iMessage deixa muitos”, dijo. Já o Signal, que é focado em privacidade, está livre desse problema.

    Essa descoberta pode complicar as coisas para o WhatsApp em batalhas judiciais. No Brasil, por ejemplo, o app está à beira de enfrentar um quarto período de suspensão por se negar a fornecer dados de conversas entre potenciais criminosos. A empresa vem se defendendo há meses afirmando não ter acesso a esses dados.

    Fuente: Olhar Digital


    *** Si estás a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitando frecuentemente el AM POST.


    Facebook

    economía

    Contacto Terminos de uso