Más que 500 empresários do AM se capacitaram em Mercado Internacional

A participação mostra que mesmo em ano de crise, os empresários amazonenses têm procurado alternativas de melhorias.
28/12/2016 10h14 - Actualizado 28/12/2016 10h14

Foto: Assessoria


O Centro Internacional de Negócios do Amazonas (CIN-AM) fecha mais um ano com a missão cumprida de fomentar as exportações no estado por meio da capacitação de empresários. Durante o ano de 2016, 535 empresários foram capacitados e participaram de missões prospectivas, treinamentos, oficinas, coaching e encontro de negócios, o que significa um aumento de quase 79% de participantes de 2015 para 2016, já que no ano passado apenas 299 empresários participaram das ações.

Os eventos realizados este ano alcançaram um total de 12 edições com recorde de público e foram destaques as Oficinas: ‘Como empreender nos EUA’, que reuniu 200 empresários; ‘Como Ingressar no Mercado Norte Americano, com um total de 94 participantes; ‘Seminário Oportunidade de Negócios Amazonas X Hong Kong’, con 51 empresários, o ‘Workshop Como Realizar Investimentos em Startups’, com a presença de 44 pessoas e o ‘Seminário Oportunidades de Negócios Amazons X Taiwan’ que reuniu 43 participantes.

Marcelo Lima, gerente executivo do CIN-AM, enfatiza que os eventos que reuniram maior número de empresários foram oficinas voltadas para segmentos específicos, entre eles, se destacando os setores de alimentos e bebidas e cosméticos.

“O aumento no número de participações é a demonstração de que os empresários amazonenses mesmo em ano de crise buscaram alternativas e, principalmente, novos conhecimentos para ingressar no mercado internacional. Nosso objetivo é intensificar as ações que buscam fomentar as exportações no estado”, frisou o gerente.

Mercado

De acordo com levantamento do CIN-AM, além do setor de alimentos e bebidas, outros setores também se destacaram em relação à exportação no ano de 2016, são eles: setor de duas rodas, que são as motocicletas e o da mineração, especificamente o nióbio.

Os países que mais compraram do Amazonas foram os da União Europeia, entre eles, Alemania, França e Holanda. Em relação à Ásia, a China continua sendo o maior importador. São destaques também os países da Austrália que compraram motocicletas em grande quantidade do Amazonas e os Estados Unidos, para onde foi exportado nióbio.

Segundo Marcelo Lima, a exportações para a América do Norte, especificamente México, Guatemala, Colômbia, Peru e Uruguai apresentaram crescimento este ano. As empresas que mais exportaram são: Recofarma, Moto Honra, Siemens e Mineração Taboca.

“Nossas expectativas para o próximo ano são as melhores, tendo em vista as perspectivas de aumento das exportações em razão da intensificação do apoio disponibilizado pelo Governo Federal, principalmente devido o incentivo de crédito para a Micro e Pequena Indústria (MPI) e a implementação do Simples Internacional” concluiu o gerente executivo do CIN-AM.


*** Si estás a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitando frecuentemente el AM POST.


Facebook

economía

Contacto Terminos de uso