Prefeito eleito de Osasco é alvo de prisão preventiva

A Operação Caça-Fantasmas tenta desestruturar esquema de funcionários fantasmas e outras irregularidades.
06/12/2016 11h01 - Actualizado 6/12/2016 11h01

Foto: reproducción


O prefeito eleito de Osasco, Rogério Lins (PTN), que atualmente é vereador do município, teve o mandado de prisão preventiva expedido pela Operação Caça-Fantasmas. Otros 13 vereadores também são alvos de prisão preventiva.

Os detidos estão sendo levados para a Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes e para a Delegacia de Investigações Gerais, ambas em Osasco.

A operação, deflagrada em agosto de 2015 pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), tenta desestruturar um esquema de funcionários fantasmas, além da captação de dinheiro de parte do salário de assessores dos vereadores. Estima-se que foram desviados R$ 21 millones.

A denúncia é contra 217 pessoas, entre vereadores, assessores e fantasmas. Foram cumpridos 73 mandados de busca. Más que 200 pessoas foram afastadas, cautelarmente, de seus cargos a pedido do Ministério Público de São Paulo.

Fuente: Agencia Brasil


*** Si estás a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitando frecuentemente el AM POST.


Facebook

economía

Contacto Terminos de uso