• ‘Me ofende profundamente a insinuação de que o PT é uma organização criminosadiz Lula em depoimento; assista

    Veja o primeiro depoimento de Lula como réu, acusado de tentar interferir na Lava-Jato.
    14/03/2017 15h52 - Actualizado 14/03/2017 16h17

    Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula/VEJA


    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou hoje (14) ter pedido ao então senador Delcídio do Amaral (em) para que atuasse no sentido de impedir que o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró firmasse acordo de delação premiada com a força-tarefa da Operação Lava Jato.

    Este Martes, Lula prestou depoimento na 10ª Vara Federal de Brasília, na ação em que é acusado de tentar obstruir as investigações da Lava Jato. O ex-presidente afirmou que está sendo “vítima de um massacre”. “Você não sabem o que é acordar todo dia com medo de a imprensa estar na sua porta, achando que você vai ser preso”, dijo.

    Nos primeiros minutos do depoimento Lula se diz ofendido com a insinuação de que o Partido dos Trabalhadores (PT) é uma organização criminosa.

    Ele negou conhecer pessoalmente Cerveró e disse não ter interesse no depoimento do ex-diretor. “Só tem um brasileiro que poderia ter medo da delação do Cerveró, que é o Delcídio. Eu não tive nenhuma preocupação com depoimento de nenhum diretor da Petrobras”, disse o ex-presidente ao juiz Ricardo Soares Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília.

    Questionado a respeito de reuniões que manteve com o ex-senador na sede do Instituto Lula, en Sao Paulo, ele afirmou ter tido “muitas reuniões com o Delcídio”. “Ele era senador da República, líder do governo, houve várias reuniões em Brasília e em São Paulo. Ele esteve no Instituto Lula várias vezes”, contou o ex-presidente.

    Assista na íntegra:


    *** Si estás a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitando frecuentemente el AM POST.


    Facebook

    economía

    Contacto Terminos de uso