Los maestros y los trabajadores de la salud mantienen la protesta el miércoles

Os professores se concentraram na frente da sede do Governo e os profissionais da saúde na Susam.
15/03/2017 11h23 - Actualizado 15/03/2017 17h02

foto: reproducción


Profissionais da educação e da saúde realizam protesto nesta quarta-feira (15). Cerca de 300 professores protestam contra a a reforma trabalhista da Previdência proposta pelo governo do presidente Michel Temer, e a manifestação faz parte de paralisação nacional.

Eles se manifestam porque defendem que a medida causará impacto, uma vez que perderão a aposentaria especial do magistério e eles defendem que passam passam por grande desgaste psicológico. Os professores realizaram o protesto na frente da sede Governo do Estado, carregando cartazes e utilizando um carro de som. Ainda hoje às 15h eles vão reivindicar na Praça do Congresso, no Centro.

salud

En el área de la salud, cerca de 50 servidores também se manifestaram por progressão de carreira, aumento de salários, pagamento de benefícios como ticket alimentação. Eles se concentraram na avenida André Araújo, en la zona central del sur de la capital, na frente à sede da Secretaria de Estado de Saúde (sésamo).

Eles reclamam que estão há três anos sem correções salariais e sem progressão dentro do plano de carreira. Os profissionais prometem paralisar as atividades se a Susam se o governo não responderem as suas reivindicações dentro de dez dias.

Participaram do protesto pacífico, profissionais dos hospitais 28 de Agosto, Adriano Jorge, João Lúcio e fundações Hemoam, de Medicina Tropical, Alfredo da Mata e de Vigilância em Saúde.

fuente: Escribir AM Mensaje


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


Facebook

economía

contacto Condiciones de uso