Alfredo Nascimento recibió dos en efectivo de R $ 200 mil en las elecciones, chivato dice Odebrecht

donaciones ilegales se han producido en 2006, de acuerdo con João Pacífico. Sr. negó haber recibido dinero de Odebrecht.
19/04/2017 13h40 - Actualizado 19/04/2017 16h18
foto: reproducción

En ganadora del inicio del partido, o ex-executivo da Odebrecht João Antônio Pacífico Ferreira afirmou que a companhia pagou R$ 200 mil, a través de aguanieve, para a campanha ao senado do então ministro dos transportes, Alfredo Nascimento, hoje deputado federal pelo PR. en un comunicado, o político informou que está indignado e que nunca recebeu doações da empreiteira.

O pedido de ajuda para a campanha teria sido feito durante uma reunião com empresários e um ex-diretor da Odebrecht, José Carvalho Filho. Segundo Pacífico, a doação feita a Alfredo ocorreu nas eleições de 2006.

Houve uma reunião com o então ministro Alfredo Nascimento, Ministro de Transportes, e que era candidato a eleição ao cargo de senador pelo estado do Amazonas, en las elecciones 2006, onde ele convocou diversas empresas e solicitou uma contribuição de campanha de R$ 200 mil de cada empresa”, dicho.

João Pacífico afirma que cerca de 10 empresas participaram da reunião. Todas as companhias atuavam junto ao Ministério dos Tranportes, via Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), segundo conta. Ele afirma ainda que foi orientado por José Carvalho Filho a fazer o pagamento para a campanha de Alfredo.

Nesta época nós estávamos prestes a assinar o contrato ou a ter a obra da BR-101, que eu já relatei aqui. Então num primeiro momento eu nem quis levar esse assunto para a companhia, mas depois o próprio Carvalho ‘chora’. ‘Olha pode aí ter algum tipo de retaliação, nós estamos prestes a assinar, a ter o processo licitatório e portanto o contrato da BR-101, as outras empresas que estão lá nesse projeto, também estavam presentes nessa reunião’. Aí eu levei em consideração isso tudo que o Carvalho me colocou e eu submeti a aprovação da companhia e foi autorizado. Tive autorização para contribuir com R$ 200 mil, a través de aguanieve, para o Alfredo Nascimento”, dice.

Pacífico diz ainda que o codinome de Nascimento não consta nas listas de repasses feitos pela Odebrecht. Según él, a falta de identificação do deputado pode ter sido uma falha no sistema. “Tem o valor de R$ 200 mil, o responsável ‘Carvalho’, mas não tem o codinome. A data coincide com a data em que foi feita a contribuição”, terminado.

O repasse não oficial também foi comentado pelos delatores Benedicto Barbosa da Silva Júnior, José de Carvalho Filho e Paulo Falcão. Todos contaram que Nascimento pediu umaajuda financeirapara sua campanha eleitoral, durante uma reunião feita a pedido do deputado federal Milton Monti enquanto Alfredo era ministro dos transportes.

As ações descritas pelos delatores configuram corrupção passiva, ativa e lavagem de dinheiro. Ministro Luiz Edson Fachin, Relator de la Operación lava Jato en el Tribunal Supremo (STF), autorizou a Procuradoria-Geral da República (PGR) a investigar Alfredo Nascimento.

en un comunicado, o deputado federal disse estar indignado. Según él, a delação confirma que ele não cometeu nenhuma irregularidade, uma vez que Pacífico faz suposições emal lembra o nome e o cargo dele”.

Alfredo também informou que não há registro do nome dele na lista da Odebrecht e que nunca recebeu qualquer doação da companhia. O deputado diz ainda que está tranquilo e confiante em Deus, “porque as investigações vão inocentá-lo”.

G1 fuente


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505