Delações da Odebrecht coloca Arena da Amazônia na mira da Lava Jato

As informações sobre a Arena, já foram remetidas para a Justiça do Amazonas pelo ministro-relator, com cópia para a Procuradoria da República no Amazonas.
13/04/2017 10h48 - Actualizado 13/04/2017 17h27
foto: reproducción

O ex-executivo da Odebrecht, Benedicto Júnior disse em delações que houve acordo da empreiteira Odebrecht com a empresa Andrade Gutierrez para frustrar o caráter competitivo de processo licitatório associado à construção da Arena Amazônia e por isso, o estádio amazonense é um dos seis que estão na mira das investigações da Operação Lava Jato.

A Arena foi construída para receber a Copa do Mundo de 2014, en Manaus. Segundo denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), existem suspeitas de irregularidades sobre os estádios, uma vez que foram beneficiados com investimentos bilionários.

O Ministros Edson FACH, relator da operação no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou o encaminhamento das investigações para instâncias inferiores sobre o Maracanã, o Mané Garrincha, e as arenas Castelão, da Amazônia e Pernambuco.

As informações sobre a Arena, já foram remetidas para a Justiça do Amazonas pelo ministro-relator, com cópia para a
Procuradoria da República no Amazonas.

fuente: Escribir AM Mensaje


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505