Corte niega apelación y obliga a Google a eliminar del cuerpo las imágenes de la autopsia de Cristiano Araújo

A ação foi movida pelo pai do cantor, João Reis de Araújo, en octubre 2015.
11/08/2017 15H26 - Actualizado 11/08/2017 15H26
foto: reproducción

A Justiça de Goiás manteve decisão que obriga o Google a retirar dos resultados de suas buscas imagens e vídeos da necrópsia do corpo do cantor Cristiano Araújo, morto em acidente de carro em 2015.

A ação foi movida pelo pai do cantor, João Reis de Araújo, en octubre 2015. Naquele mesmo ano, a Justiça pediu a retirada das páginas apontadas por ele dos resultados de buscas.

O recurso do Google baseava-se no argumento de que a companhia não teria capacidade técnica de controlar todo o conteúdo postado a respeito do cantor por terceiros.

en la decisión, o juiz substituto Carlos Roberto Fávaro, relator acción, levou em conta o fato de que a família do cantor informou quais eram os links e “hashs” (espécie de impressão digital dos vídeos) que deveriam ser removidos. A Folha de S.Paulo ainda não obteve uma resposta do Google até a publicação desta reportagem.

FACEBOOK
Também nesta semana, o Tribunal de Justiça de Goiás derrubou uma liminar (decisión provisional) que obrigava o Facebook a tirar do ar vídeos da necropsia do cantor.

A decisão considerou que o monitoramento prévio de conteúdo postado em redes sociais equivale a censura, proibida pela Constituição brasileira.

A defesa da família do cantor afirmou, a respeito da decisão, que ela foi baseada em um erro técnico e seria possível ao Facebook monitorar a postagens dos vídeos sempre que ela se repetisse sem recorrer a censura prévia.


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso