David Almeida está estudiando el cambio en la ley que incrementa impuesto a los combustibles

a intenção de modificar a Lei n. 4.454, marzo 2017, que aumentou em 2% a alíquota do ICMS de óleo diesel e combustível.
19/09/2017 09h18 - Actualizado 19/09/2017 16h46
foto: revelación

El gobernador de Amazonas, David Almeida, reafirmou nesta segunda-feira, día 18 septiembre, a intenção de modificar a Lei n. 4.454, marzo 2017, que aumentou em 2% a alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de óleo diesel e combustível, além de outros itens considerados supérfluos. A medida é esperada pela classe empresarial e também pela população, uma vez que pode reduzir o preço do combustível.

O assunto foi tratado em reunião que o governador teve com representantes do segmento industrial e comercial, esta tarde, na sede da Secretaria Estadual de Fazenda (Se hace). Participaram o presidente e vice da Federação das Indústrias do Amazonas (Fieam), Antônio Silva e Nelson Azevedo; Ataliba David e José Azevedo, da Associação Comercial do Amazonas (ACA); Aderson Frota, da Federação do Comercio do Estado do Amazonas (Fecomercio); Ralph Assayag, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDLM) e Ezra Azury Benzion – presidente Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL)

O governador disse que a intenção é por fim ao aumento para os combustíveis, mas acrescentou que o governo ainda precisa fazer alguns ajustes no âmbito da Sefaz, antes de encaminhar uma mensagem a Assembleia Legislativa do Amazonas (peligro) para alterar a lei e revogar o imposto. David pretende ir na próxima quarta-feira, à Fieam e só depois fechar a mensagem que será enviada à Aleam.

“Nós estamos conversando sobre isso há algum tempo, em função daquele imposto que onera os combustíveis e que, indudablemente, no momento da criação existia a necessidade. O Estado começou a crescer nesses últimos três ou quatro meses. Nós estamos fazendo os ajustes necessários com a receita e arrecadação do Estado e estamos analisando o pleito das federações – indústria, comércio e serviços – e na próxima quarta vou até a federação das indústrias para de forma definitiva dar um encaminhamento a esse pleito”, dijo el gobernador, después de la reunión.

O presidente da FCDL, Ezra Azury Benzion, disse acreditar que a revogação do aumento do imposto vai ajudar a frear o aumento do combustível, mesmo que ainda não esteja tendo efeito. “Hoje esse aumento não está sendo impactado porque muitos ajuizaram, o sea, não está sendo pago. Mas se por acaso essas ações ajuizadas caírem vai ter aumento sim. Por ejemplo, 2% sobre o preço do combustível que é R$ 4,25 são mais oito centavos. Con eso, o combustível aumenta no mínimo mais oito ou dez centavos. Ninguém aguenta mais impostos. A ideia nossa é que se manter como está – retirando os 2% – os preços vão cair naturalmente, pois é a lei da oferta e da demanda. Não é normal que se tenha tantos impostos”, dicho.

A mesma opinião tem o presidente da CDLM, Ralph Assayag, Segundo ele os 2% de aumento atingem diretamente o óleo diesel e a gasolina que geram impacto sobre todo o comercio, onerando o custo de tudo e aumentando a inflação.

Assayag elogiou a postura do governo em injetar recursos na economia, com o adiantamento de mais uma parcela do 13º salário dos servidores estaduais e o abono dos professores pagos pelo governo com as sobras do Fundeb. Según él, a injeção de recursos terá um impacto forte sobre o Dia das Crianças que deve ser o melhor depois da crise.

Melhor Dia das Crianças
“Pela primeira vez nós tivemos um pagamento de 30% do décimo terceiro em setembro. entonces, nós temos aí em torno de R$ 80 un R $ 90 milhões que vão ajudar muito o comércio no Dia das Crianças. A expectativa é de um crescimento em torno de R$ 42 millón. Isso vai ser um aumento de 1,5 un 2%. Um aumento significativo tendo em vista que só vínhamos tendo negativos”.


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso wp: (92) 99344-0505