Los taxistas piden apoyo a la CMM para regular el uso de la aplicación Uber en Manaus

O Presidente da CMM, El concejal de Wilker Barreto (PHS) Se argumenta que la aplicación es una tendencia mundial, pero tiene que ser operado en las reglas de Manaus.
19/09/2017 17h17 - Actualizado 2/10/2017 17h12
FOTOS:TIAGO CORREA_CMM

O protesto nacional dos sindicatos da categoria dos taxistas contra o aplicativo de transporte particular de passageiros, Uber, levantou a discussão na Câmara Municipal de Manaus (CMM), el martes (19). O funcionamento do aplicativo sem regulamentação é criticado pela categoria, que se fez presente na Casa Legislativa. A atuação do serviço de forma clandestina tem causado prejuízos aos motoristas.

O Presidente da CMM, El concejal de Wilker Barreto (PHS) Se argumenta que la aplicación es una tendencia mundial, pero tiene que ser operado en las reglas de Manaus, da mesma forma que tem o taxista, sem deixar de observar que o objetivo final é o bolso do cidadão. “A exemplo de São Paulo que já tem o táxi 99 como mais uma opção de mobilidade urbana, o preço da corrida é muito menor, comparada ao táxi. Não pode o Uber ser um sistema predatório, mas defendo o seu funcionamento com regras claras”, dijo el parlamentario.

Após intensos discursos no plenário, Barreto recebeu, na sala da Presidência, uma comissão formada por 12 membros da categoria para ouvir as propostas dos trabalhadores ao projeto do Executivo que trata da regulamentação de aplicativos, o qual ainda será elaborado com o sindicato. A categoria pediu apoio ao presidente para que a propositura, ao chegar à Casa, tenha tramitação urgente.

As propostas serão levadas, jueves (21), à Superintendência Municipal de Transporte Urbano (SMTU) para serem estudadas e inclusas ao projeto para a liberação dos aplicativos com regras, como informou o presidente do Sindicato dos Taxistas de Manaus (Sindtaxi), Luiz Augusto, durante la reunión.

Entre as principais propostas apresentadas pelo Sindtaxi, a serem inseridas no PL do Executivo, está a igualdade de condições quanto aos impostos, a garantia da segurança do usuário, o acompanhamento real da quantidade de veículos que rodam por meio dos aplicativos e, de que forma vão atuar.

“Nós queremos a regulamentação dos aplicativos. Sem ser regulamentado, o serviço só prejudica os taxistas que pagam e que apresentam vários itens documentais para atuar no serviço. Está ocorrendo um descontrole dos aplicativos clandestinos na cidade de Manaus”, disse Luiz Augusto.

O ex-taxista e vereador Bessa (PHS), que também é membro da Comissão de Transporte, Mobilidade Urbana e Acessibilidade (COMTMUA), ressaltou que o ato pacífico mostrou o quanto a categoria sofre. “Foi um ato de repudio por tudo o que vem acontecendo nos últimos cinco meses. O apoio ao serviço do Uber causa um caos em todo o sistema de transporte em Manaus, além de incentivar a lotação clandestina”, dijo el concejal.


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


contacto Condiciones de uso