• Eletrobras flagra mais de 27 mil ‘gatosna rede de energia do Amazonas em 2017

    Com as ligações clandestinas, a Eletrobras Distribuição Amazonas recuperou o valor de R$ 56.049.916,15 em todo o Estado.
    20/12/2017 15h30 - Actualizado 21/12/2017 16h17

    Foto: divulgar


    Até o mês de novembro de 2017, a Eletrobras Distribuição Amazonas flagrou 27.400 ligações clandestinas (“gatos”) e recuperou o valor de R$ 56.049.916,15 em todo o Estado. Segundo a empresa, a prática, que é criminosa, é encontrada em imóveis pertencentes a pessoas de todas as classes sociais.

    “Furto de Energia é crime, além de provocar curtos-circuitos, desligamentos, oscilações de energia e riscos de acidentes, gera transtornos e deixa a conta de todos mais cara”, destaca a distribuidora em material divulgado à imprensa.

    O furto de energia e a fraude de medidores são tipificados como crime conforme o código penal brasileiro, artigos 155 mi 171. A pena é de reclusão, que pode variar de 1 una 4 años, y bien.

    As operações de perdas de energia são realizadas com o apoio da Delegacia Especializada no Combate Ao Furto de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS) e Perícia do Instituto de Criminalística (IC).

    Campaña
    Com o tema “Furto de energia pega mal e é crime”, a Eletrobras Distribuição Amazonas lançou, El lunes pasado (18), uma campanha publicitária para alertar a população sobre os riscos e consequências das ligações clandestinas. As peças publicitárias já estão sendo veiculadas nas rádios, TVs e jornais impressos.

    A campanha abrange os 62 municípios do Amazonas e faz um alerta sobre as perdas de energia, mostrando os prejuízos causados por este crime, que interfere na qualidade do fornecimento de energia. Acessando o site da campanha, o consumidor pode acompanhar as ações de fiscalizações realizadas pela Distribuidora, assim como informações de regularização e denúncias anônimas de ligações clandestinas.


    *** Si estás a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitando frecuentemente el AM POST.


    Facebook

    economía

    Contacto Terminos de uso