• Justiça aceita denúncia do MPE-AM e torna delegado Gustavo Sotero réu por homicídio triplamente qualificado

    Segundo o MPE-AM, o homicídio foi qualificado por ter sido cometido por motivo fútil.
    14/12/2017 16h22 - Actualizado 15/12/2017 16h55

    Foto: reproducción


    Escribiendo POST AM

    A juíza da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Mirza Telma, decidiu acatar o pedido do Ministério Público do Estado (MPE-AM) que denunciou o delegado Gustavo Sotero por homicídio triplamente qualificado pelo assassinato do advogado Wilson Justo Filho no dia 25 de novembro no bar do Porão do Alemão. O autor usou uma pistola Taurus .40 e deixou outras três pessoas feridas durante o crime.

    Em sua decisão, a juíza afirmou quenão existe qualquer motivo aparente para rejeitar a denúncia”, porque, segun ella, “há indícios suficientes de autoria e materialidade da prática delitiva”.

    A magistrada deu o prazo de dez dias para que a defesa de Sotero responda por escrito às acusações feitas. Caso isso não seja feito, um defensor público deve ser nomeado para garantiro exercício do contraditório e a ampla defesa do réu”.

    Segundo o MPE-AM, o delegado deve ser penalizado conforme o art. 121, del Código Penal, e incisos II, III e IV. O órgão destaca que o homicídio foi qualificado por ter sido cometido por motivo fútil.


    *** Si estás a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitando frecuentemente el AM POST.


    Facebook

    economía

    Contacto Terminos de uso