Bolsonaro dice que el gobierno no tiene suficientes votos para aprobar la reforma de las pensiones

En defensa de la propuesta, a principal reforma apresentada pelo governo ao Congresso, o presidente afirmou que se a medida não for aprovada o Brasil vai quebrar até 2022.
05/06/2019 08H59 - Actualizado 5/06/2019 17h09
foto: Agencia Brasil

Presidente Jair Bolsonaro (PÁGINA) conocido, em entrevista exibida na noite de terça-feira, que o governo ainda não conta com os 308 votos necessários na Câmara dos Deputados para aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) la reforma de la Seguridad Social, e disse que a bola agora está no campo do Congresso.

“A Câmara está cumprindo os prazos regimentais, mas a gente sabe que tem ruídos, que por enquanto eu acho que nós ainda não temos os 308 votos ainda necessários”, disse Bolsonaro em entrevista ao apresentador Ratinho, SBT. “Eu estou à disposição deles, para conversar comigo eu viro a noite para conversar sem problema nenhum. A bola está com o Parlamento agora.”

En defensa de la propuesta, a principal reforma apresentada pelo governo ao Congresso, Bolsonaro disse que se a medida não for aprovada o Brasil vai quebrar até 2022. “Se não tomar essa medida agora, a irresponsabilidade desse momento vai custar muito mais caro para todos lá na frente”, dijo.

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a reforma da Previdência precisa de 308 votos em dois turnos de votação na Câmara e de 49 votos, também em duas rodadas, no Senado, para ser aprobado.

A matéria tramita atualmente em comissão especial da Câmara, e o governo tem trabalhado com a perspectiva de aprovar a reforma no plenário da Câmara no primeiro semestre.

En martes, o presidente da comissão especial da Previdência, Adjunto Marcelo Ramos (PL-AM), afirmou que Bolsonaro não tem “noção de prioridade” por ir à Câmara entregar projeto de lei que trata de mudanças no Código de Trânsito no mesmo momento em que se realizava seminário sobre a reforma previdenciária.

fuente: Reuters


*** Si usted está a favor de una prensa totalmente libre e imparcial, colaborar disfrutando de nuestra página en Facebook y visitar a menudo el AM Mensaje.


Facebook

economía

contacto Condiciones de uso