Após reunião, Ministro promete diagnóstico sobre apagões em Manaus

Além de sofrer com os constantes blecautes, moradores de Manaus e da Região Metropolitana receberam um aumento de 21,57% na conta de luz.
14/12/2016 08h52 - Atualizado em 14/12/2016 17h00

Foto: Ariel Costa


O Ministro das Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, prometeu entregar um diagnóstico, ainda nesta semana, sobre a situação da energia elétrica e, principalmente, sobre os recentes apagões em Manaus e municípios da Região Metropolitana. Para o Senador Omar Aziz (PSD-AM), que participou da reunião na tarde desta terça-feira (13), em Brasília, o encontro serviu também para cobrar os investimentos prometidos pelo Ministério no início do ano passado, mais de R$ 6 bilhões, e que até agora não foram executados.

“Cobrei uma posição do Ministro sobre os investimentos para o Estado do Amazonas e que até agora não foram feitos. Exigi também uma posição sobre os apagões constantes em Manaus. Parece que a nossa cidade vive no século XIX, com apagões diários. Hoje, em pleno século XXI, apesar de prometerem resolver os problemas, até hoje não foram resolvidos”, disparou o Senador do Amazonas.

Também participaram da reunião no Ministério das Minas e Energia, o deputado federal Átila Lins, coordenador da bancada do Amazonas no Congresso, e os também deputados, Alfredo Nascimento, Conceição Sampaio, Pauderney Avelino e Silas Câmara.

No fim de novembro, todas as zonas de Manaus ficaram sem o fornecimento de energia elétrica durante um período do dia. Segundo a Eletrobras, ocorreu o desligamento do Linhão 500kV Tucuruí-Manaus no trecho Oriximiná-Silves. Além da capital, as cidades de Iranduba, Manacapuru e Presidente Figueiredo foram afetadas. O corte de luz causou desligamento de semáforos e congestionamentos em várias partes de Manaus.

Além disso, a Eletrobras Distribuição Amazonas anunciou que os novos valores da conta de luz começam a ser cobrados em dezembro, proporcional e gradativamente, conforme o ciclo de faturamento e vencimento de cada cliente.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso