Irregularidades em prestação de contas detectadas pelo TRE-AM podem impedir posse de Artur em 2017

O Ministério Público Estadual instaurou procedimento para investigar como Artur Virgílio consegue morar em hotel de luxo que custa cinco vezes mais do que ele ganha como prefeito.
02/12/2016 16h46 - Atualizado em 4/12/2016 14h35

Foto: Divulgação


A Comissão de Prestação de Contas de Campanha do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) considerou grave “com potencial de provocar a reprovação das contas” as despesas de hospedagem do prefeito Artur Neto, apresentadas pela coligação Experiência e Renovação à Justiça Eleitoral. As irregularidades apontadas podem impedir a posse do tucano.

O prefeito foi denunciado por um veículo de comunicação local durante a eleição passada de ocupar a suite presidencial do Hotel Caeser Business, que custa R$ 2.500 por dia e R$ 75.000 por mês. Na época Artur assumiu que morava no hotel e que a hospedagem era paga pela coligação.

Para justificar a estranha e caríssima hospedagem, o prefeito desviou a finalidade dos gastos de campanha e pagou R$ 12.943,80 para o Hotel Caeser Business. Diante da irregularidade constatada pelo TRE-AM, Artur terá que dar explicações sobre os gastos proibidos pela legislação eleitoral.

O Ministério Público Estadual instaurou procedimento para investigar como Artur Virgílio consegue morar em hotel de luxo que custa cinco vezes mais do que ele ganha como prefeito.

Outra irregularidade grave detectada pela Comissão de Prestação de Contas está na omissão de notas fiscais identificadas pelo TRE-AM junto às Fazendas estadual e municipal, que não constam na prestação de contas do prefeito reeleito. As notas fiscais que foram omitidas atingem cerca de R$-1.500.000,00 – a metade do valor declarado pela coligação.

Fonte: Rede Tiradentes


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso