Ministério Público pede que Arthur exonere primeira-dama de Manaus

Segundo o MP Elisabeth não tem qualificação necessária para atuar na pasta. Arthur tem 15 dias para responder o pedido.
09/12/2017 13h16 - Atualizado em 10/12/2017 20h11

Foto: Reprodução


Redação AM POST

O prefeito e presidenciável tucano Arthur Virgílio Neto, recebeu esta semana, uma recomendação do Ministério Público do Amazonas para que ele exonere a primeira-dama de Manaus, Elisabeth Valeiko, da presidência do Fundo Social de Solidariedade (FSS).

Para o Ministério Público, o ato de nepotismo está evidente, já que ela não reúne a qualificação necessária para atuar na pasta. O pré-candidato à Presidência pelo PSDB tem 15 dias para responder ao MP. Valeiko foi nomeada pelo marido e prefeito no dia 22 de maio, com salário de R$ 15 mil.

Em 2017, Arthur Virgílio Neto decidiu entregar à família o comando da Prefeitura de Manaus. Nomeou o filho, Arthur Bisneto, como chefe da Casa Civil, e deu à esposa, Elisabeth Valeiko, poderes para dar ordens a secretários.

Bisneto livre
O pedido de demissão só não alcança o deputado federal licenciado Arthur Bisneto porque o MP avalia, a partir de entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), que em se tratando de cargos políticos, como a Casa Civil, qualificação e experiência descaracterizam o nepotismo. Bisneto é parlamentar há 14 anos. Já “Betinha”, titular de um fundo social, é arquiteta.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso