• TSE nega pedido de divulgação de agenda de Lula em emissoras de TV

    Campanha do ex-presidente queria que agenda fosse noticiada como vem ocorrendo com demais candidatos.
    29/08/2018 12h13 - Atualizado em 11/09/2018 12h50

    Foto: Reprodução


    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgou improcedente, na noite dessa terça-feira (28), o pedido feito pela campanha do ex-presidente Lula, do PT, para que sua agenda eleitoral fosse noticiada pelas redes de televisão da mesma forma que vem ocorrendo com os demais candidatos à presidência da República.

    A petição mencionava a TV Globo, TV Ômega, Rádio e Televisão Bandeirantes, TV Record e o SBT.

    A defesa argumentou que os direitos comunicativos de Lula estariam sendo violados e que as emissoras estariam dando tratamento privilegiado para os demais concorrentes, ao omitirem a campanha de Lula.

    O ex-presidente cumpre pena por lavagem de dinheiro e corrupção passiva desde abril, mas ainda aguarda o julgamento de seu registro de candidatura, pela Justiça Eleitoral. Até o julgamento, seu nome pode ser divulgado como candidato.

    A Associação Brasileira de Emissoras de Rádios e Televisão (Abert), também mencionada na petição, defendeu que estava em jogo a liberdade de imprensa e dos veículos de decidirem o que é notícia em seus programas.

    O relator da petição, ministro Sérgio Silveira Banhos concluiu que não é possível comparar a agenda dos candidatos com atos da coligação ou do candidato a vice na chapa, Fernando Haddad, do PT, sem a presença de Lula.

    Na sessão dessa terça-feira (28) também foram aprovados os registros de candidatura de Álvaro Dias, do Podemos; Ciro Gomes, do PDT; João Goulart Filho, do PPL, e Henrique Meirelles, do MDB.

    O pedido de impugnação que havia contra Meirelles foi negado por ter sido apresentado fora do prazo.

    Fonte:A Tribuna


    *** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


    Facebook

    Economia

    Contato Termos de uso