Bolsonaro retira sonda e faz sua primeira refeição, afirma hospital

Novo boletim médico deve ser divulgado pelo hospital ainda esta manhã.
11/09/2018 09h25 - Atualizado em 11/09/2018 16h24

Foto: Reprodução


Em boletim médico divulgado na manhã desta terça-feira (11), a equipe médica do hospital Albert Einstein, em São Paulo. afirmou que o deputado Jair Bolsonaro (PSL) retirou a sonda nasogástrica que estava usando desde a última quinta-feira (6), quando sofreu um ataque a facadas.

No entanto, “o paciente permanece em cuidados de Terapia Intensiva, afebril e sem sinais de infecção”, diz o boletim, assinado pelos médicos Antônio Luiz Macedo, Leandro Echenique e Miguel Cendoroglo. Mais cedo, Flavio Bolsonaro, um dos filhos do candidato, havia afirmado em rede social que o deputado havia deixado a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e foi para a unidade semi-intensiva, informação não confirmada pelos médicos.Segundo o filho, Bolsonaro fez sua primeira refeição desde que foi atacado por uma faca enquanto fazia campanha, no último dia 6. Bolsonaro comeu pão e tomou suco.

“Será reiniciada alimentação oral e progredida de forma gradual conforme aceitação”, afirma o boletim médico.

Bolsonaro está no hospital em São Paulo desde sexta-feira (7), um dia depois de ter sido submetido a uma cirurgia na Santa Casa de Juiz de Fora (MG), cidade em que foi esfaqueado. Novo boletim médico deve ser divulgado pelo hospital ainda esta manhã.

O candidato fará uma nova cirurgia considerada de grande porte, ainda sem data para ser realizada. A necessidade de um novo procedimento cirúrgico já tinha sido anunciada na última quinta-feira (6), quando o candidato passou pelos primeiros procedimentos em Minas Gerais.O objetivo é reconstruir o trânsito intestinal e retirar a bolsa de colostomia acoplada provisoriamente ao corpo de Bolsonaro.

No domingo (9), o presidente em exercício do PSL, Gustavo Bebianno, elogiou a equipe médica que cuida de Bolsonaro e manifestou preocupação com a segunda cirurgia, que traz novos riscos de infecção, mas não soube dizer quando ela deve acontecer. Bebianno disse trabalhar com a previsão de alta para cerca de três semanas, a poucos dias do primeiro turno das eleições.

Fonte:UOL


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso