Empresário paga fiança de R$ 500 mil e é liberado após acidente que matou duas pessoas

Segundo a polícia Giovanni Maiorana tinha visíveis sinais de embriaguez quando colidiu em outros carros.
28/09/2018 16h09 - Atualizado em 28/09/2018 16h09

Foto: Reprodução


O empresário Giovanni Chaves Maiorana, envolvido no acidente ocorrido na madrugada desta quinta-feira (27), que culminou na morte de duas pessoas e deixou outra ferida, pagou fiança de R$ 500 mil determinada pelo juiz da Vara Penal de Belém, Heyder Tavares, e já está em liberdade.

Gabriela Cristina Jardim da Costa, de 19 anos, e a trans Kinberly Guedes morreram no acidente que envolveu o empresário e outros cinco veículos na avenida Gentil Bittencourt, no bairro de São Brás, centro da cidade. Uma terceira vítima, o taxista Milton Costa Júnior, está internado no Hospital Metropolitano, em Ananindeua. De acordo com o último boletim médico divulgado, o estado de saúde é estável e ele permanece internado.

Além da fiança, o juiz também determinou que Giovanni está proibido de deixar a região metropolitana de Belém por período superior a oito dias, sem autorização prévia do juízo, assim como está impedido de deixar o país, devendo entregar o passaporte à polícia em 24 horas. Ele também teve sua licença para dirigir suspensa por 12 meses e deve entregar a sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) também no prazo de 24 horas.

Giovanni também terá que passar por um curso de reciclagem no Departamento Nacional de Trânsito no Pará (Detran) e não poderá sair de casa depois das 22h durante a semana e 20h no final de semana.

Entenda o caso
O acidente ocoreu na madrugada desta quinta-feira. A colisão provocada pela empresário atingiu cinco carros. Segundo os policiais militares que registraram o boletim de ocorrência, ele estava visivelmente embriagado. Dentro do carro dele foram encontradas latas de cerveja.

Uma das vítimas é Gabriela Cristina Jardim da Costa, de 19 anos, mãe de uma criança de quatro anos. Ela estava entrando em um táxi quando foi atropelada e não resistiu. A outra vítima é Kinberly Guedes, que chegou a ser socorrida, mas também não resistiu aos ferimentos. A terceira vítima é o taxista Milton Costa Júnior, que está internado no Hospital Metropolitana, em Ananindeua.

Após o acidente, Giovanni foi detido e levado para a Seccional de São Brás. Ele foi encaminhado para fazer exame de dosagem alcoólica no Instituto Médico Legal (IML), mas se recusou a fazer o teste. A recusa não altera a autuação, já que os sintomas de alcoolemia eram visíveis, de acordo com a polícia.

A defesa do motorista informou que ainda não vai se pronunciar sobre o caso.

Fonte: G1


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso