• Imprensa internacional repercute destruição do acervo do Museu Nacional

    O grande incêndio neste domingo repercutiu na mídia internacional como uma tragédia na cultura do Brasil.
    03/09/2018 10h07 - Atualizado em 11/09/2018 12h45

    Foto: Reprodução


    A destruição de praticamente todo o acervo do Museu Nacional em um grande incêndio neste domingo repercutiu na mídia internacional como uma tragédia na cultura do Brasil. O jornal espanhol “El País” destacou que o histórico prédio guardava “a maior e mais importante coleção indígena e a biblioteca de antropologia mais rica do país”.

    O britânico “The Guardian” relatou que visitantes compartilharam fotos registradas no museu enquanto lamentam a perda irreparável de seus itens.

    A emissora BBC, também do Reino Unido, citou como importantes partes do acervo as peças únicas da era pré-colombiana, além de artefatos de culturas indígenas, peças da época greco-romana e do Egito Antigo. No site, a reportagem sobre o incêndio foi colocada em manchete.

    Já o site do jornal português “Diários de Notícias” relembrou a História que une Brasil e Portugal.

    “Situado na Quinta da Boa Vista, o edifício alberga uma vasta coleção museológica, desde arte indígena a meteoritos e a um importante espólio de egiptologia, mas destaca-se também por ter sido residência dos Bragança no Brasil, tanto no período colonial até 1822, como depois já da independência até à proclamação da república em 1889. Na Sala do Trono havia mobiliário e objetos vários que pertenceram à família real, depois imperial”, diz trecho de uma das matérias.

    O francês “Le Monde” também chamou atenção para a importância histórica do museu, não apenas por seu acervo centenário, mas por ter abrigado a família real portuguesa no século XIX.

    A lastimável perda de 20 milhões de itens exibidos no museu também foi destaque no jornal argentino “Clarín”, na emissora americana “CNN” e também no jornal “The New York Times”, além de diversos outras mídias estrangeiras.

    Fonte:EXTRA


    *** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


    Facebook

    Economia

    Contato Termos de uso