Mulher atacada pelo ex com facão em ônibus escolar diz que se fingiu de morta para cessar agressão

Vítima de 37 anos foi atacada enquanto trabalhava como monitora, em Boituva (SP), e teve a mão amputada.
19/09/2018 10h04 - Atualizado em 19/09/2018 11h07

Foto: Reprodução


A mulher de 37 anos, que foi atacada com facão pelo ex-marido enquanto trabalhava como monitora em um ônibus escolar, em Boituva (SP), afirma que se fingiu de morta para que o homem parasse de golpeá-la.

“Tínhamos deixado crianças no onto e ele entrou desferindo golpes, dizendo que eu não tinha traído ele e que ele ia me matar. Daí eu tentei me esconder embaixo do banco, mas não tinha como. O motorista tentou me ajudar. O jeito foi me fazer de morta. Na hora que eu me fiz de morta ele parou. Acho que ele pensou que tinha conseguido fazer o que ele queria”, diz.

O caso ocorreu na manhã do dia 30 de agosto. O ex-marido da vítima, Edivan Francisco da Silva, invadiu o ônibus e a atacou com diversos golpes. O motorista do veículo Zuinglio Pinheiro de Melo tentou proteger a vítima e também foi ferido.

A mulher foi socorrida com os dedos das duas mãos decepados e cortes profundos na cabeça, braços e joelhos. Devido aos ferimentos, ela precisou amputar uma das mãos. Na sexta-feira (14), ela deixou o hospital após ficar mais de 15 dias internada.

Fonte: G1

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso