Procon Manaus e órgãos de defesa do consumidor divulgam balanço das ações em supermercados

O balanço contabilizou um total de apreensões de mais de 300 quilos de alimentos e 12 supermercados fiscalizados.
01/09/2018 10h36 - Atualizado em 11/09/2018 12h45

Foto: Reprodução


O balanço das fiscalizações conjuntas realizadas nesta quinta, 30, e sexta-feira, 31/8, em 12 grandes supermercados de Manaus, pelo Procon Manaus, Visa Manaus, o Ministério Público do Estado (MPE-AM) – por meio da 51ª Promotoria de Justiça Especializada na Proteção e Defesa do Consumidor (Prodecon) -, Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor (Decon) e o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-AM), foi divulgado nesta sexta-feira.

O balanço contabilizou um total de apreensões de mais de 300 quilos de alimentos, 282 ar-condicionado, tendo 61 deles o registro cancelado, 31 mangueiras de gás de cozinha e 2.157 cadeiras plásticas confiscadas nos 12 supermercados fiscalizados.

O ouvidor-geral do município e coordenador do Procon Manaus, Rodrigo Guedes, destacou que todo o trabalho dessa força-tarefa não se resume em medir forças entre o poder público e o empresário, mas quer garantir a melhor qualidade de serviço à população. “As redes onde fizemos as fiscalizações são as maiores da região, subtende-se que, pela capacidade técnica, devam ser mais responsáveis perante a lei. O Procon Manaus autuou todas que apresentaram irregularidades para garantir ao consumidor um produto de qualidade“, destacou.

O fiscal da Visa Manaus, Fabrício Barros, fez um alerta à população, para que sempre esteja atenta aos produtos que estiverem na prateleira, mesmo que esteja no prozo de validade. “O consumidor tem que estar muito atento quando for comprar qualquer alimento em qualquer estabelecimento. Nesta operação nós encontramos muitos produtos que estavam dentro do prazo de validade, mas visivelmente estavam impróprios para o consumo”, alertou. O fiscal informou ainda que as autuações ficam entre uma e 40 Unidades Fiscais do Município (UFMs), podendo chegar a uma multa de R$ 40 mil.

O promotor da 51ª Prodecon, Otávio Gomes, destacou a importância da parceria entre os órgãos de defesa do consumidor, principalmente no que diz respeito ao avanço que já vem sendo observado na melhoria da prestação de serviço em supermercados. “Ainda há muito que melhorar, muito ainda precisa ser fiscalizado, mas já notamos alguns pontos que já estão sendo amenizados, e é esse nosso objetivo, ter operações constantes para que o consumidor leve para a mesa um produto de qualidade sem preocupação”, destacou.

Informações de Assessoria


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso