Professor de escola pública é indiciado por estupro suspeito de tentar beijar aluna dentro de sala de aula

Adolescente de 14 anos foi vista correndo, fugindo do homem. Delegado afirma que vítima era assediada pelo educador, que foi afastado das atividades, em Cidade Ocidental.
26/09/2018 11h44 - Atualizado em 26/09/2018 11h47

Foto: Reprodução


O professor de uma escola pública foi indiciado por estupro, suspeito de tentar beijar à força uma aluna dele, de 14 anos, dentro da sala de aula, em Cidade Ocidental, no Entorno do Distrito Federal. A adolescente foi vista saindo correndo da sala, fugindo do homem. Segundo a Polícia Civil, vítima já havia sido assediada outras vezes.

O G1 e a TV Anhanguera não conseguiram localizar a defesa do professor.

De acordo com o delegado Daniel Marcelino, responsável pelas investigações, o educador foi afastado de suas atividades pela Secretaria Municipal de Educação de Cidade Ocidental. O investigador afirma que o crime ocorreu quando ele e a vítima estavam sozinhos na sala de aula.

“O professor teria entrado em contato com uma aluna, pedindo que ela chamasse outra aluna, porque ele queria conversar com esta aluna dentro da sala de aula, na qual ele estava sozinho. A aluna entrou na sala e, dentro da sala de aula, ele tentou beijá-la à força, em seguida ela saiu correndo, conseguiu se desvencilhar desta violência”.“Ele já há algum tempo, antes de cometer o crime, ele já vinha assediando a aluna, com palavras e com gestos”, disse o delegado.

À TV Anhanguera, a Secretaria Municipal de Educação de Cidade Ocidental informou que já tomou todas as medidas administrativas necessárias junto ao Ministério Público, à Polícia Civil e ao Conselho Tutelar.

O caso ocorreu na segunda-feira (24), em uma escola municipal de Cidade Ocidental. Conforme a corporação, no mesmo dia do fato, os pais foram chamados pela direção e registraram ocorrência na delegacia.

Segundo o delegado, funcionários e alunos da unidade de ensino disseram em depoimento que o professor admitiu ter agarrado a adolescente à força, alegando que havia “perdido a cabeça”. O investigador afirma que estuda a possibilidade de pedir a prisão do professor.

“O fato dele ter tocado na adolescente, com violência, sem anuência dela, já configura estupro. Encaminhamos um oficio para a Secretaria de Educação, a qual informou que o professor já se encontra afastado das suas atividades, até para resguardar a integridade dos alunos, já que ele demonstrou ser um risco e, daqui para a frente vamos avaliar a possibilidade de representar pela prisão”, disse o investigador.

Fonte: G1

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso