Condomínio Passaredo diz que não houve invasão nem roubo no dia da morte de engenheiro

Conforme nota, o enteado do prefeito Arthur Neto autorizou a entrada em sua casa de convidados para festa que foram devidamente registrados dentro dos parâmetros de controle do condomínio.
01/10/2019 16h13 - Atualizado em 2/10/2019 14h44

Foto: Reprodução


Redação AM POST

O Condomínio Residencial Passaredo, localizado na Ponta Negra, área nobre de Manaus, afirmou que não houve invasão ou roubo no local no dia da morte do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, de 42 anos, ocorrida no último domingo (29/09). A informação foi repassada nesta terça-feira (1°), por meio de nota enviada pela assessoria jurídica do residencial.

O prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), se posicionou, por volta das 5h da manhã de hoje em sua página no Facebook afirmando que o imóvel de seu enteado, Alejandro Molina Valeiko, filho da primeira-dama do município Elisabeth Valeiko Ribeiro, foi invadido por homens armados e encapuzados e de lá a vítima teria sido sequestrada e posteriormente foi encontrada morta no bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus.

No entanto, o residencial disse que não se trata de uma situação de meliantes, como tem sido noticiado, pois todos os envolvidos foram devidamente registrados dentro dos parâmetros de controle do condomínio. A nota diz ainda que o “possuidor/proprietário do lote em questão [Alejandro Valeiko] autorizou que alguns convidados fossem até sua residência. Porém, no interior da casa, houve um desentendimento entre as pessoas que ali estavam, iniciando uma discussão entre eles”.

“Não houve nem invasão nem roubo e a morte do visitante nada tem haver com o condomínio Passaredo, o que será confirmado pelo distrito de polícia responsável pelo caso”, afirma trecho da nota.

Leia nota na íntegra:


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso