• Delegado Pablo e outros deputados do PSL gastam verba com firmas fantasma, afirma Estado de S.Paulo

    A reportagem aponta que 20 dos 53 deputados do partido apresentaram à Câmara pedido de ressarcimento de R$ 730 mil por serviços prestados por firmas que não existem.
    03/11/2019 11h07 - Atualizado em 4/11/2019 13h42

    Foto: Divulgação


    Redação AM POST

    O deputado federal Delegado Pablo e outros deputados do PSL estão sendo acusados de usar uma ‘empresa fantasma’ para justificar gastos de verbas públicas do mandato. Eles foram citados em reportagem do jornal o ‘Estado de S.Paulo’ na manhã deste domingo (3).

    A reportagem aponta que 20 dos 53 deputados do PSL, eleitos com o discurso de renovação da política, apresentaram à Câmara pedido de ressarcimento de R$ 730 mil por serviços prestados por firmas que não existem nos endereços informados nas notas fiscais.

    Em trecho retirado da reportagem, o Estadão afirma que Pablo pagou R$ 100 mil para Igor Cordovil, secretário-geral do PSL no Amazonas para fazer uma consultoria nas redes sociais e na comunicação.

    “Delegado Pablo recomendou que a reportagem entrasse em contato com a assessoria, que informou o número de Cordovil. O secretário do PSL, no entanto, disse que não trabalha mais para o parlamentar. A reportagem não conseguiu entrar em contato novamente com o deputado”, diz reportagem.

    Procurado pela reportagem do Portal AM POST, o deputado disse em nota que a matéria do Estadão é claramente tendenciosa por ter atacado apenas parlamentares do PSL.

    Leia a resposta de Pablo na íntegra:

    NOTA À IMPRENSA

    Sobre a reportagem veiculada no site do jornal Estadão, no último sábado, 02 de novembro de 2019, intitulada “Deputados do PSL gastam verba com firmas fantasma”, e veiculada por meios de comunicação locais, informo que:

    1. Sempre trabalhei contratando empresas de divulgação e marketing de modo transparente e com notório conhecimento público, pois os dados estão no portal da Câmara dos Deputados, e referem-se à divulgação de atividade parlamentar ao longo de 10 (dez) meses;

    2. Importante salientar que entre os parlamentares da Câmara Federal, sou um dos que tem menos gastos com cota parlamentar ressaltando que, desde o início do mandato, abri mão de diversos privilégios gozados pelos deputados, tais como aposentadoria especial e auxílio moradia;

    A reportagem é claramente tendenciosa, pois há 513 deputados federais na Câmara, muitos gastando recursos públicos de maneira duvidosa, mas o jornal O Estado de SP procura, como sempre, apenas os parlamentares do PSL.

    Mais uma vez é triste ver a mídia sendo usada com único objetivo de promover a desinformação.

    Delegado Pablo – Deputado Federal

    Sobre os pagamentos a Igor Cordovil, o site encontrou os seguintes lançamentos de registros de pagamento:

    Fevereiro/2019

    Março/2019

    Abril/2019

    Maio/2019

    Junho/2019

    Julho/2019

    Agosto/2019

    Setembro/2019

    Outrubro/2019


    *** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


    Facebook

    Economia

    Contato Termos de uso